quarta-feira, 9 de agosto de 2017

#AlisamentoSaudavel #Cisteamina #CisteaminadeSodio #AlisamentoEtico #NovosAtivos #PaoloCabeleireiro #FalandodeCabelo

Alisamento Ético dos Cabelos


Olá pessoal!

Vamos conhecer os vários ativos utilizados em alisamento e que não contém formol ou ácido glioxílico, que são proibidos pela ANVISA.

O tratamento ético é um tipo de alisamento natural, sem produtos químicos que possam prejudicar a saúde e os cabelos tanto de quem prepara o produto como de quem o usa nos cabelos.


O mais novo lançamento para tratar os cabelos é a CISTEAMINA NA50, ou Cisteamina de Sódio.



Veja tipos de ativos para um alisamento saudável

 Hidróxido de sódio – produto aprovado pela ANVISA e indicado para alisamento de pessoas com cabelos crespos. É comum o hidróxido de sódio ser usado em barbearias para texturizar os cabelos de homens.

Tioglicolato de amônio – produto aprovado pela ANVISA e indicado para o uso de alisamento em cabelos com tintura e cabelos ondulados.

Tioglicolato de AMP – produto aprovado pela ANVISA e indicado para o uso de alisamento de cabelos que foram prejudicados por outros processos químicos. Produto utilizado para fazer a desintoxicação dos cabelos com escova progressiva (formol ou ácidos)

Cisteamina de sódio – produto aprovado pela ANVISA. Um composto químico ação hibrida, dupla ação, age na parte externa e interna do fio. Indução do efeito liso ou cacheado do fio.

O que é então a CISTEAMINA NA50

Então a Cisteamina de sódio é o resultado da associação da L-cisteína (ácido fraco que promove uma oxiredução) + hidróxido de sódio (base forte que promove uma lantionização).
A associação desses componentes que reagem de diferentes formas no mesmo produto, promovem o aumento do nível de tolerância com cabelos crespos já processados por outros químicos como colorações clareadoras e outros componentes alcalinos de alisamentos.



Dicas para alisamento ético

Apesar de ser um tratamento que não prejudica a saúde e nem os fios de cabelo, é importante saber que para cada tipo de cabelo ou de raiz é usado um tipo de alisamento, não se preocupar com isso pode trazer resultados desagradáveis e ineficientes.

Pessoas com raiz do cabelo crespa e encaracolada terá problemas se optar por um alisamento definitivo, já que o crescimento da raiz compromete o efeito alcançado. O indicado para cabelo crespo ou encaracolado é a texturização. (Veja o tipo de alisamento ético indicado abaixo).

Já pessoas com o cabelo ou raiz lisa o alisamento definitivo é indicado.



É importante fazer o tratamento capilar num lugar de sua confiança e com um profissional capacitado e de confiança. Evite sempre o formol ou o ácido glioxílico, que libera formol, apesar do formol não constar na fórmula e nem tem o cheiro característico. Formol prejudica os cabelos e pode causar câncer.

Imagens: Grandha

sábado, 5 de agosto de 2017

#cuidadoscomcabelo #paolocabeleireiro #falandodecabelo #dicascabeleireiro

CABELO É COMO FILHO, TEM QUE CUIDAR A VIDA INTEIRA!




Olá pessoal!
Retornando as nossas publicações sobre nossa moldura.

Agora que meu filho já sabe andar, estou tranquila!
Agora que meu filho está na escola, estou sossegada!
Agora que meu filho saiu da faculdade, estou segura!
Agora que meu filho está trabalhando, estou em paz!
Agora que meu filho casou, estou aliviada!

TUDO MENTIRA...

Cabelo é exatamente assim:

Agora que cortei o cabelo, estou tranquila!
Agora que não faço mais tintura, estou sossegada!
Agora que não aliso mais o cabelo, estou segura!
Agora que assumi os brancos, estou em paz!
Agora que assumi os cachos, estou aliviada!
Mas os cabelos continuam precisando de cuidados, exatamente como os filhos: pela vida inteira.
Cabelo curto também sofre com as lavagens constantes e fica propenso ao ressecamento.
Cabelo sem tratamento químico também sofre com secador e fica sensibilizado.
Cabelo sem remodelagem química também sofre os danos mecânicos de pentes e escovas.
Cabelo branco é susceptível ao ataque da radiação solar.
Cabelo cacheado é mais frágil e propenso à quebra e formação de pontas duplas.

CONCLUSÃO:
Só quem não tem que se preocupar em cuidar BEM dos cabelos é quem não os têm, todos os outros precisam:
1- Escolher muito bem os ingredientes dos seus produtos cosméticos. Lembre-se sempre que o resultado bom vem de hábitos diários. Leia, leia e leia as bulas dos seus produtos. Depois pesquise, pesquise e pesquise sobre os ingredientes.

2- O cabeleireiro é o melhor amigo do seu cabelo, visite-o regularmente. Ele sabe diagnosticar o estado e necessidades dos seus fios. Lembre-se que alguns tratamentos são destinados apenas aos profissionais, você não pode e não deve fazer em casa.

Colaboração:Sonia Corazza

Imagem: internet

quarta-feira, 28 de junho de 2017

#acidohialuronico #escovaprogressiva #selagem #hidratação #cabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Ácido hialurônico
Um excelente “reconstrutor” do cabelo


Olá pessoal!

Como postei aqui em 27 de novembro de 2015, falando sobre os benefícios do ACIDO HIALURÔNICO, hoje volto a escrever sobre este ingrediente que virou “onda” como se ele fosse o ativo de escova progressiva. Pessoal, ele é um excelente “reconstrutor” para o cabelo, mas não alisa isto é a maior mentira que vocês podem aplicar para uma cliente.

Nos últimos tempos uma nova “onda” de substâncias e ingredientes cosméticos monopolizam o protagonismo da cosmética capilar e de muitos dos tratamentos destinados a manter um cabelo bonito e saudável. O aparecimento da queratina representou um autêntico boom, e agora é um dos componentes que triunfou no campo dos produtos de beleza facial (especialmente nos de antienvelhecimento) é que se está a revelar como uma autêntica cura de reparação para os cabelos mais castigados: o ácido hialurônico para o cabelo.

Esta substância é um componente básico do corpo humano. De facto, trata-se de uma proteína presente, sobretudo na pele, nas cartilagens, nos ossos, nos vasos sanguíneos, no cordão umbilical, etc. e da qual se pode dizer que atua como um autêntico guardião da hidratação do organismo.


O grande poder do ácido hialurônico é a sua impressionante capacidade de absorver grandes quantidades de água, armazenando a umidade (estima-se que um grama de ácido hialurônico pode absorver até três litros de água). Esta função de esponja funciona na perfeição aproximadamente até aos 40 anos, altura a partir da qual a produção desta proteína começa a ser menor, o que leva a uma perda da hidratação da pele, causa direta dos três inimigos principais da “firmeza facial”: a secura, a flacidez e, finalmente, as rugas. As zonas do corpo nas quais este abrandamento da produção do ácido hialurônico se torna mais evidente são as mãos, o pescoço, o rosto e o decote.



O ácido hialurônico incorporado nas fórmulas cosméticas tem por objetivo combater a flacidez cutânea, devolver a hidratação e a firmeza perdidas às peles mais flácidas e prevenir o envelhecimento, com resultados visíveis em curto prazo. Quanto à utilização do ácido hialurônico no cabelo, a sua principal vantagem é o elevado nível de hidratação que proporciona à estrutura capilar, compensando os efeitos negativos produzidos pelo sol, os fatores ambientais, os tratamentos agressivos e outras circunstâncias que produzem a perda de água no cabelo e que, por sua vez, dão lugar à rotura, secura, perda de brilho, de cor, etc.

Portanto, para manter um cabelo bonito, é muito interessante conhecer as propriedades e as vantagens dos novos ingredientes que fazem parte da composição dos produtos capilares, algo tão importante como saber escolher um shampoo de forma adequada ou saber como lavar o cabelo corretamente.

Acido hialurônico alisa cabelo?

Mentiraaaaaaaaaaa, ele não tem capacidade de alisar cabelo e nem de esticar o cabelo, portanto, nas progressivas ele esta associado a um principio ativo não liberado pelo órgão regulador, a ANVISA, que fara esta parte de esticar o fio.
A função dele no cabelo, e isto sim ele faz, é preencher as fissuras provocadas por danos causados, e devolvendo muita maciez aos fios.
O ácido hialurônico é um bi polímero, ele é meio viscoso, possui uma versão sintética vegetal.
É possível produzir ácido hialurônico artificialmente pela fermentação de substratos vegetais realizadas por bactérias do gênero Streptococcus, ou, ainda, pela fermentação do açúcar da beterraba por lactobacilos. O ácido hialurônico sintético é utilizado na produção de uma enorme variedade de cosméticos tais como loções corporais, loções pós-barba, géis, shampoos e condicionadores de cabelos, cremes antirrugas e outros.

Vamos conhecer mais do ácido hialurônico
1) O ácido hialurônico é um tipo de açúcar, denominado como polisacárido tipo glicosaminoglicano, que está presente naturalmente no nosso corpo, especialmente em articulações, cartilagens da pele.
2) No entanto, a nossa pele, diariamente, sintetiza e degrada cerca de 1/3 da produção da substância. Os desequilíbrios costumam aparecer a partir dos 40 anos e, com isso, a pele desidrata e perde sua densidade. Com o passar dos anos, a produção desse ácido é interrompida e, por isso, é preciso tratar topicamente com preenchedores para devolver o volume necessário à derme.
3) O principal “superpoder” do ácido hialurônico é a sua alta capacidade de retenção de água que é de até mil vezes o seu peso! E é por esse motivo que o ativo tem um papel tão importante na hidratação da pele e do cabelo, conferindo viço e aquele ar de saúde que toda apaixonada por beleza deseja ter no rosto.
4) Dessa forma, a substância é utilizada em procedimentos clínicos, como preenchimentos de bolsas na região dos olhos ou de sulcos e rugas. Mas não para por aí: ele está incluído em dermocosméticos, principalmente na formulação de produtos antirrugas, como séruns e cremes.
5) Como é naturalmente presente no corpo, a tolerância ao ácido hialurônico tópico é excelente. No entanto, isso não quer dizer que dispensa a consulta com o dermatologista, quando for utilizar em cremes para o corpo e rosto. Procure um especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologista para avaliar seu tipo de pele e escolher os dermocosméticos e procedimentos ideais!

Imagens; Internet




quarta-feira, 31 de maio de 2017

#comocuidarcabeloscacheados #cabeloscacheados #cabeloscrespos #dicas #falandodecabelo #paolocabeleireiro

CACHOS QUE TE QUERO CACHOS




Olá pessoal!

Vamos  tratar um pouco de como cuidar dos cabelos cacheados e crespos.

Para quem tem cabelos crespos ou cacheados, sabe que não e fácil doma-los, sem passar algum tempo em frente ao espelho. E é por essas e outras, que muitas mulheres preferem passar por processos de alisamentos simplesmente por não saber como cuidar corretamente.

Os Cachos estão em alta  e promete ser ainda tendência para o por um bom tempo, porem eles precisam estar impecáveis, para garantir um aspecto natural e despojado, e para isso tudo começa na higienização.

 HIGIENIZANDO UM CABELO CACHEADO

Não ha necessidade de lavar os cabelos todos os dias, pois os cabelos cacheados já são naturalmente secos, pois a oleosidade natural da área de crescimento também chamada como emulsão epicutânea, não consegue chegar ate as pontas, portando se lavar os cabelos todos os dias tendem a ficar mais ressecados.
Outra dica é preferir os shampoos hidratantes, sem sulfatos com uma base bem lipídica, caso não tenha oleosidade na área de crescimento, caso contrario use um shampoo para oleosidade no couro cabeludo e a mascara e condicionador no comprimento as pontas.
Obs.: não se deve esfregar um cabelo cacheado com o shampoo e sim apertá-lo em direção ao couro cabeludo, como se tivesse aplicando um modelador, isso já vai dando forma ao fio evitando os frizz e má formação dos cachos, além de deixa-lo higienizado.

MASCARA E CONDICIONADOR

Apos o shampoo e hora das mascaras e dos condicionadores escolham sempre as com bases lipídicas (óleo), para melhor resultado o ideal e aplicar as mascara deixando um tempo de pausa de 10 a 15min e depois o condicionador pausando por 5 minutos,
Para aplicação da mascara separe os capelos por mechas e enluve para espalhar bem e aperte, mecha a mecha, enxaguar depois do tempo de pausa e use o condicionador, agora e hora de pentear, com os cabelos úmidos e aplicado o condicionador pente-os, escolha um pente de médio a largo e de preferencia de madeira ou de carbono, enxague bem, e sem tirar muito a umidade vamos para o leave-in (condicionadores sem enxague).

CONDICIONADOR SEM ENXAGUE (LEAVE-IN)

São fundamentais para os cabelos crespos e cacheados. alem de evitarem o frizz, garantem a hidratação e mantem a umidade natural dos fios por mais tempo.
Aplique nos cabelos ainda úmido, também usando a técnica de mecha a mecha, porem sem passar os dedos, somente fitando, com uma toalha de microfibra seque os cabelos apertando os em direção do couro cabeludo segure por alguns segundos e prontos, cachos definidos domados e sem frizz.

MODELADORES

Prefira os leave-in de estilização  ou séruns de modelar, caso venha usar use logo apos o leave-in ainda com os cabelos úmidos e depois aperte com a tolha de micro fibra.

GARFOS PARA PENTEAR

Muito bem vindos para cabelos crespos e cacheados, existem vários modelos segue alguns abaixo, porem devem ser usados somente na raiz soltando do couro cabeludo sem abrir os cachos, para quem gosta de mais volumes.



 Este modelo ajuda dar um volume médio.

 




Já este para quem quer muito volume









 E esta mais para cabelos crespos e cacheados mais finos e ralos.


 





 Imagens: Internet

terça-feira, 30 de maio de 2017

#oleodericino #tratamentocabelo #hidratação #cabelo #quedacabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro



Óleo de Rícino para Fortalecimento dos Cabelos



Olá pessoal!

Hoje irei tratar do óleo de rícino para fortalecer os cabelos, ele é diferente dos óleos essenciais.
Na postagem anterior, tratei dos óleos essências para a saúde e beleza dos cabelos. Então vamos recordar o que são os óleos essências.

O que são óleos essenciais?

Óleos essenciais são substâncias voláteis extremamente concentradas, que possuem princípios ativos de acordo com suas composições químicas. Dependendo da planta, o óleo essencial terá características diferenciadas de aroma, cor e densidade. Os óleos essenciais podem ser usados diluídos em veículos carreadores sobre a pele, através de massagens, cremes, loções, gel ou puro, através da inalação. Seu objetivo é proporcionar bem estar físico e emocional, já que possui diversos componentes químicos terapêuticos.

Em geral, são necessários muitos quilos de plantas para extrair uma quantidade pequena de óleo essencial. Por exemplo, para extrair 1 litro de óleo de lavanda, são necessários 350kg de flores de lavanda.

Pra que servem os óleos essenciais?

O uso dos óleos essenciais é bastante popular nas áreas farmacêutica, terapêutica e cosmética. A fitoterapia e a aromaterapia devem a sua fama ao uso das substâncias odorantes. Alguns óleos essenciais são muito conhecidos por suas propriedades medicinais: o óleo de cravo-da-índia é um analgésico muito poderoso, bastante utilizado na área dentária; o de lavanda e o de maleleuca serve como antisséptico.

No campo da cosmética, eles servem para perfumar produtos como shampoos, sabonetes, cremes entre outros, e também estão presentes em dose moderada em produtos de cuidados. Os óleos essenciais estão em todos os lugares, até mesmo em detergentes e produtos de limpeza, que recorrem às suas virtudes aromáticas e suavizantes.

Então vamos conhecer o Óleo de Ricino


Óleo de Rícino para Fortalecimento dos Cabelos



Está com os cabelos fracos, quebradiços, danificados, ressecados, caspa ou queda de cabelo? Então que tal experimentar um óleo que pode ajudar muito nesses problemas?

O óleo de rícino é o óleo extraído das sementes da mamona (ricinus communis), uma planta bastante comum em nosso país. A semente da mamona contém entre 40 e 50% de óleo. A semente em si é tóxica, mas o seu óleo, rico em ácido ricinoleico, não é tóxico (já que a ricina não é solúvel em óleo).

A mamona é muito útil devido à ação anti-inflamatórios e antioxidante, tendo diversas aplicações.

O que o Óleo de Rícino Pode Tratar?



Queda de cabelo
Constipação intestinal
Infecções por fungos
Distúrbios menstruais
Problemas gastrointestinais
Queimaduras de sol
Inflamações
A pele também pode ser muito beneficiada com o óleo, já que ele tem efeito emoliente, penetra na pele hidratando-a e estimulando a produção de colágeno e elastina, prevenindo assim, rugas e linhas de expressão. Além disso, trata a  pele seca e dermatites.

Benefícios do Óleo de Rícino para os Cabelos

Fortalece os fios
Combate à queda dos cabelos
Combate a quebra dos fios
Contém vitamina E, minerais e vitaminas que auxiliam no crescimento.
Ativa a circulação no couro cabeludo
Contém propriedades anti-bacterianas e anti-fúngicas
Trata pele seca e coceira no couro cabeludo
Ajuda no tratamento de calvície e alopécia
Diminui caspas (usando na raiz)
Hidrata e recupera os fios profundamente
Encorpa os fios
Sela as cutículas da fibra capilar dando brilho
Ajuda manter a hidratação dentro dos fios (sela)

Óleo de Rícino para Hidratar e Nutrir os Fios

Além de tratar o couro cabeludo, o óleo de rícino condiciona e hidrata os cabelos, prevenindo pontas duplas.

Se você faz o cronograma capilar, na fase de nutrição, você pode colocar uma colher de chá de óleo de rícino e 2 colheres de sopa do seu creme hidratante preferido. Se preferir pode adicionar manteiga de Karité. Misture tudo, passe nos cabelos úmidos lavados apenas com shampoo, deixe agir por 20 ou 30 minutos e enxágue.

Para as pontas duplas, misture o óleo de rícino com óleo de coco. Passe a mistura apenas nas pontinhas dos fios, deixe agir por 2 horas e lave os cabelos normalmente.



Importante: Em consistência, o óleo de rícino é grosso (espesso) e pegajoso; por isso evite passar o óleo puro no comprimento dos fios.

Óleo de Rícino para Queda de Cabelo

O óleo de rícino pode impedir o crescimento de micro-organismos, como bactérias e fungos que podem afetar a saúde do seu couro cabeludo e, assim, ele pode impedir a perda de cabelos.

O óleo de rícino contém muitos compostos naturais altamente benéficos que estimulam o crescimento capilar, e embora não seja uma panaceia contra a calvície, pode ser utilizado como um tratamento coadjuvante para amenizar a perda de cabelo e fazer os cabelos crescerem mais espessos e fortes.

Se a perda de cabelos for devido a  fatores genéticos, o uso de óleo de mamona como um tratamento de queda de cabelo não vai curar o problema. Porém, pode sim ajudar a minimizar a taxa de queda.

Como o óleo de rícino estimula o crescimento capilar?

O óleo de rícino, quando aplicado e massageado diretamente sobre o couro cabeludo, estimula o crescimento de um cabelo forte e saudável, pois ele melhora a circulação sanguínea, o que é vital para estimular o crescimento do cabelo.

Contém ácido graxo omega 6 que estimula o couro cabeludo e folículos pilosos, fortalecendo os fios, de modo que quando eles crescerem, ficarão menos frágeis.


A aplicação não requer nenhum preparo especial: basta utilizar o óleo de rícino diretamente no couro cabeludo, massageando os cabelos por mais ou menos 5 minutos. Após isso, colocar uma touca plástica e deixar o produto agir por algumas horas. Depois lave os cabelos normalmente.

Imagens: Internet e Pinterest
Bibliografia: Manual da Terapia Capilar - Denise Braga - Ed.Senac
Terapia Capilar - Uma abordagem Complementar - Leonardo Wichrowski - 

quinta-feira, 25 de maio de 2017

#oleosessencias #tratamentocabelo #hidratação #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Óleos Essências 
para beleza e saúde dos cabelos



Olá pessoal!

Certamente você já ouviu falar que os óleos essenciais possuem muitas funções e que são benéficos para a saúde. Hoje nós vamos falar de óleos essenciais para tratamento dos cabelos.

Os óleos essenciais são essências botânicas da natureza e podem fazer maravilhas para os cabelos e couro cabeludo. Eles podem ser usados ​​para purificar o couro cabeludo, fortalecer, melhorar a irritação e controlar a caspa. Alguns óleos essenciais estimulam os folículos pilosos, melhoram a circulação e ajudam no crescimento quando está lento. Os óleos essenciais também ajudam controlar a oleosidade no couro cabeludo, o que atrapalha a oxigenação e, consequentemente, o crescimento dos fios.

Quais os melhores óleos essenciais para os cabelos?

Óleo Essencial de Alecrim



O óleo essencial de alecrim é um estimulante dos folículos pilosos favorecendo o crescimento saudável dos cabelos. É rico em antioxidantes que ajudam a eliminar os radicais livres – que são responsáveis ​​pelo envelhecimento, bem como a perda de cabelos. Ajuda no fortalecimento mantendo os fios saudáveis. O óleo de alecrim também é eficaz no tratamento da caspa, oleosidade, coceira e irritação do couro cabeludo.

Óleo Essencial de Hortelã




 O óleo essencial de hortelã é uma potência de nutrientes, minerais e alguns ácidos graxos; é excelente para o tratamento dos cabelos. Ele ajuda estimular o fluxo de sangue melhorando o desempenho do crescimento.  Tem propriedades antissépticas e antimicrobianas que ajudam a manter o couro cabeludo limpo, melhorando a caspa. Também é muito eficiente para queda de cabelo.

Óleo Essencial de Ylang Ylang




O óleo essencial de ylang ylang nutre os folículos melhorando o crescimento saudável dos cabelos. Ele equilibra o couro cabeludo oleoso, ajudando a normalizar a produção de sebo. As propriedades antissépticas e tônicas naturais, ajudam a manter  o couro cabeludo saudável.

Óleo Essencial de Lavanda




O óleo essencial de lavanda é muito versátil e tem uma tradição bem estabelecida como um remédio popular.  Ajuda a equilibrar os óleos naturais do couro cabeludo, possui propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e antimicrobianas que ajudam no tratamento da caspa seca. Ele acalma e nutre o couro cabeludo, proporcionando alívio de condições inflamatórias do couro cabeludo.

Óleo Essencial de Cedro




O óleo essencial de cedro ajuda a regular o couro cabeludo quando este é muito seco ou muito oleoso; equilibra seu pH. Estimula os folículos pilosos melhorando o desempenho do crescimento. Esse óleo também é usado para tratar a caspa, pois é antisséptico e tem ação adstringente.

Outros Óleos Úteis para os Cabelos

Diversos outros óleos essenciais são utilizados na aromaterapia para estimular o crescimento dos fios, combater a queda, caspa, oleosidade excessiva e fortalecer os cabelos:

O óleo essencial de melaleuca tem diversas propriedades que trata condições inflamatórias do couro cabeludo.
O óleo essencial de manjerona combate à quebra dos fios.
O óleo essencial de sálvia purifica, combate a caspa e deixa os fios mais fortes.
O de tomilho é antisséptico, estimula o fluxo o fluxo sanguíneo e revigora couro cabeludo para ajudar com a perda de cabelo.
O de limão purifica e melhora a oleosidade.

Como usar óleos essenciais nos cabelos?



Os óleos essenciais são altamente concentrados: eles são muito fortes e não podem ser usados sozinhos no tratamento dos cabelos.  Os óleos essenciais podem ser usados com óleos vegetais (óleos carreadores), máscara capilar, shampoo e em máscaras com argila. Também podem ser diluídos em água, chás a base de plantas, extratos glicólicos, hidrolatos e água floral.

Massagem Capilar com Óleo Vegetal

Existem vários óleos vegetais que podem ser usados para tratar o couro cabeludo: veja os melhores aqui. Para fazer a massagem capilar, escolha seu óleo essencial preferido e coloque 3 gotas em uma colher de sopa (10ml) de óleo vegetal. Passe a mistura no couro cabeludo, massageie e deixe agir por 1 hora. Em seguida, lave os cabelos normalmente com shampoo e condicionador.

Óleo Essencial na Máscara

Lave os cabelos com shampoo. Retire o excesso de água com uma toalha. Escolha uma  máscara capilar própria para ser usada no couro cabeludo. Separe a quantidade de máscara que vai ser usada (para o couro cabeludo e cabelos), acrescente 5 gotas do seu óleo essencial preferido.  Misture e passe no couro cabeludo e nos fios; deixe agir conforme a indicação do fabricante da máscara e em seguida enxágue bem os cabelos.

Óleo Essencial na Máscara de Argila

Os óleos essenciais também podem ser adicionados na argilo terapia capilar. Prepare uma pasta misturando água e argila: adicione 3 gotas de óleo essencial, misture bem e passe no couro cabeludo. Deixe agir por 20 minutos e em seguida lave os cabelos normalmente com shampoo e condicionador.


Que tal experimentar?

Imagens: Internet
Bibliografia; Manual de terapia capilar - Denise Braga - Ed Senac.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

#escovaprogressiva #alternativaaoformol #formol #escovasemformol #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Alisamento ético é opção segura para o cabelo e não prejudica os fios



Hidróxido de sódio é uma das opções. Uso do formol é proibido pela Anvisa e traz muitos riscos para a saúde, como câncer.

Olá pessoal!

No último dia 11/05/2017 o programa “Bem Estar” voltou a falar dos malefícios  dos “deidos” para a saúde de clientes e profissionais cabeleireiros.

Abaixo segue a matéria de divulgação do programa e o vídeo.

Muita gente já fez e muita gente faz o alisamento com formol, mas ele faz muito mal para a saúde e risco de câncer. Tanto para quem está fazendo o procedimento, quanto para quem está manuseando e aplicando o produto.

Mas como alisar o cabelo sem prejudicar a saúde? O Bem Estar convidou dois especialistas para falar sobre o assunto nesta quinta-feira (11): a dermatologista e consultora Márcia Purcelli e o químico Celso Martins Júnior.

O formol, apesar de ter sido proibido pela Anvisa, ainda é muito utilizado em salões de beleza, pois apresenta baixo custo, alta performance e rapidez no processo de alisamento. Entretanto, as reações químicas que o formol promove na cutícula do fio destroem o cabelo por dentro, deixando poroso e fraco a médio e longo prazo.


Uma opção para quem quer alisar o cabelo são os alisamentos éticos. Eles têm o princípio ativo regulamentado e reconhecido pela Anvisa. São eles: hidróxido de sódio (indicado para cabelos crespos e usado por barbeiros para texturização de cabelos masculinos); tioglicolato de amônio (indicado para cabelos ondulados e coloridos); tioglicolato de AMP (bons resultados para cabelos que sofreram com outros processos químicos); e cisteamina de sódio (usado para cabelos crespos, cacheados e ondulados).

Imagens: Internet e Youtube