sexta-feira, 19 de maio de 2017

#escovaprogressiva #alternativaaoformol #formol #escovasemformol #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Alisamento ético é opção segura para o cabelo e não prejudica os fios



Hidróxido de sódio é uma das opções. Uso do formol é proibido pela Anvisa e traz muitos riscos para a saúde, como câncer.

Olá pessoal!

No último dia 11/05/2017 o programa “Bem Estar” voltou a falar dos malefícios  dos “deidos” para a saúde de clientes e profissionais cabeleireiros.

Abaixo segue a matéria de divulgação do programa e o vídeo.

Muita gente já fez e muita gente faz o alisamento com formol, mas ele faz muito mal para a saúde e risco de câncer. Tanto para quem está fazendo o procedimento, quanto para quem está manuseando e aplicando o produto.

Mas como alisar o cabelo sem prejudicar a saúde? O Bem Estar convidou dois especialistas para falar sobre o assunto nesta quinta-feira (11): a dermatologista e consultora Márcia Purcelli e o químico Celso Martins Júnior.

O formol, apesar de ter sido proibido pela Anvisa, ainda é muito utilizado em salões de beleza, pois apresenta baixo custo, alta performance e rapidez no processo de alisamento. Entretanto, as reações químicas que o formol promove na cutícula do fio destroem o cabelo por dentro, deixando poroso e fraco a médio e longo prazo.


Uma opção para quem quer alisar o cabelo são os alisamentos éticos. Eles têm o princípio ativo regulamentado e reconhecido pela Anvisa. São eles: hidróxido de sódio (indicado para cabelos crespos e usado por barbeiros para texturização de cabelos masculinos); tioglicolato de amônio (indicado para cabelos ondulados e coloridos); tioglicolato de AMP (bons resultados para cabelos que sofreram com outros processos químicos); e cisteamina de sódio (usado para cabelos crespos, cacheados e ondulados).

Imagens: Internet e Youtube

domingo, 14 de maio de 2017

#diadasmães #falandodecabelo #paolocabeleioreiro

FELIZ DIA DAS MÃES


Hoje 14 de maio de 2017, quero desejar a todas as mamães, leitoras do blog um domingo abençoado para todas.
Beijão e obrigado por me acompanhar aqui.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

#marsala #tirarvermelhodocabelo #dicacabeleireiro #flandodecabelo #descolorir #comofazer

Cansei do cabelo vermelho (marsala).
Como vou retirar a cor.




Olá pessoal!

Bem, no inverno passado o tom Marsala comandava as cabeças, mas agora você cansou e quer retirar esta cor, mas não deseja passar nem castanho escuro nem preto. Então o que fazer¿

Bem descolorir um cabelo vermelho não é uma tarefa, nem para os expert em coloração, pois o vermelho fixa e muito na haste capilar, portanto, combine com seu cabeleireiro um tom mais quente e que não seja muito claro, tipo um marrom suave ou até mesmo um vermelho acobreado.

Como eu já expliquei em outra postagem, a molécula do pigmento sintético é maior do que a molécula do pigmento natural do cabelo. Por esse motivo é mais difícil descolorir cabelos tingidos. No processo de oxidação a molécula diminui temporariamente e penetra na cutícula aberta pelo oxidante, em seguida ela volta ao seu tamanho comum, fixando no cabelo.



As Diferenças Entre As Tintas de Cabelo

Existem diferentes tipos de coloração de cabelo vermelhas: Permanente, semipermanente e fantasia. A permanente é a que possui moléculas maiores e a fantasia apresenta moléculas menores, a semipermanente possui moléculas menores do que a permanente e maiores do que a fantasia. Isso com certeza vão influenciar na dificuldade de remoção da tinta.

Outro fator importante para se observar é a pigmentação da tinta. As mais pigmentadas – geralmente mais escuras, mas isso não é regra – são mais difíceis de tirar do que as menos pigmentadas.

Vamos analisar o cabelo

Bom vamos começar, veja como esta seu cabelo, uma boa analise é fundamental para o sucesso trabalho, esta bem hidratado, não tem nenhum tipo de “escova progressiva” ou “escova acida” etc... estas informações são de suma importância, nunca omita isto em qualquer tipo de trabalho que for realizar em seu cabelo, mesmo que faça algum tempo que você não faça nada no cabelo.

Se o fio não estiver bom, faça reconstruções antes de fazer a decapagem da cor, para o cabelo não sensibilizar ainda mais o cabelo.

O cabelo estando perfeito, vamos definir a cor desejada, um vermelho acobreado, um marrom claro, ou até mesmo um castanho clarinho, mas nunca parte de imediato para um louro, pois o resultado não será bom.


Tudo pronto vamos começar então.

- Vamos higienizar os fios do cabelo, não o couro cabeludo, utilizando um shampoo de limpeza, mas um pH compatível com o cabelo, não alcalino de mais.

- Vamos proteger os fios com um produto tipo Keraflex, pois aumenta a resistência do mesmo.

- Vamos iniciar a mistura do descolorante pelo comprimento e pontas, na mistura do descolorante utilize um peroxido de 30 volumes, e conformo indicações do fabricante. Após vamos fazer o processo na parte próxima ao couro cabeludo e igualar a cor do meio e pontas.

- Pronta esta fase, altura de tom atingida (cobre) vamos passar para o processo de matização.

- Se a cor escolhida for acobreada, vamos matizar com uma coloração acobreada tipo 7.4 e peroxido de 3%, se for um tom marrom vai utilizar a coloração 6.1 com peroxido de 3%.

Decorrido o tempo de pausa da matização lavar os cabelos e hidratar.

Com a nova cor vamos agora mostrar para as amigas e ser feliz com a nova cor.

Imanges: internet e pinterest

terça-feira, 2 de maio de 2017

#matizar #tonalizar #desamarelar #dicascabeleireiro #falandodecabelo

Matizar ou tonalizar os cabelos após a descoloração



Olá pessoal!

Matizar ou tonalizar os cabelos após a descoloração? Acho que já ouvi essa pergunta centena de vezes. Mas tem uma regra a ser seguida?

Você descoloriu o cabelo, tirou o descolorante. O que fazer agora?

Tudo vai depender de quanto abriu a cor, ou o tom que ficou.


Tonalizar com coloração (tonalizante).

Além de tirar o amarelo ou laranja que muitas vezes fica após a descoloração, ainda dá uma cor ao loiro. É mais durável que a matização.

Ficou amarelo?
 Use coloração com final 2 que tem roxo (irisado). Cuidado com as de finais 1, pois como tem pigmento azul, e azul com amarelo é igual a verde, todo cuidado é pouco.

Ficou mais dourado?
 Coloração com final 1, tem azul e cinza. Apenas cuidado com as de final 11 que geralmente podem chumbar o cabelo.


Como fazer essa tonalização?
Essa tonalização é feita com uma parte de coloração e duas de oxidante de 10 volumes. Passe no cabelo assim que tirar o descolorante, antes mesmo de tirar a touca, no caso de ter feito luzes na touca.

O tempo vai de cada cabelo e do grau de clareamento. Quanto mais claro, mais rápido tonaliza.

Se o cabelo ficou bem branquinho, primeiro agradeça a Deus, porque são raros. Nesse caso se quiser um tom perolado pode usar uma coloração com final 89 ou 21. Tem 9,89; 9.21 ou a 10.21. Mas pode usar o tom de loiro que quiser. Ai vai do gosto.

O modo de usar é o mesmo que passei acima. A menos que seja a 12.89 ou 12.21 tem que usar oxidante de 30 volumes senão amarela o cabelo.


Matizar com máscaras matizadoras.



Particularmente eu prefiro apenas matizar com matizadores bem potentes tipo o P21, pois ele consegue tirar bem o amarelado e o douradinho que fica logo após a descoloração.
Como eles vem prontos de fabrica não se comete erros, e já provocam uma boa hidratação ao fio.
Nesse caso do matizador é mais simples ainda.  Passo e vou olhando.

Mas vejam bem: se ficou um laranja/dourado muito forte e não abriu muito, nem tonalizar e nem matizar vai adiantar nada. Ai o caso é descolorir esse cabelo de novo.

A regra da cor do matizador é a mesma pra tonalização. Tons amarelos usem produtos roxos, e dourados produtos azuis.

 Já ouvi profissionais dizendo que tem que tonalizar após a descoloração, não que seja obrigatório, mas além de colocar cor no cabelo ela dura bem mais e o cabelo não fica amarelado com o passar do tempo e corrige a porosidade decorrente do produto de descoloração. E em casa você utiliza o matizar para manter a cor que saiu do salão.

Espero ter ajudado a todas as louras tirarem suas duvidas.

Imagens: Pinterest.



domingo, 23 de abril de 2017

#escovaprogressiva #alisamento #novoativos #paolocabeleireiro #falandodecabelo

Uma alternativa ao formol - Novo ativo
Escova progressiva – Escova ácida – chega destes produtos


Olá pessoal!

Recebo aqui no blog sempre perguntas o que utilizar no lugar das “escovas progressivas” a base de formol ou outros tipos de “deidos” como o ácido glioxílico, que quando aquecido tem o mesmo efeito que o formaldeído.

Existe sim um produto que vai substituir os “deidos” sem causar danos ao fio do cabelo, ou ao couro cabeludo, e também, sem a degradação da haste capilar como ocorre quando se utiliza as tais escovas progressivas ou ácidas, ou fazemos as selagens. E nem faz mal ao profissional cabeleireiro ou sua cliente.

Este ativo chama-se TIOGLICOLATO DE AMINO METILPROPANOL, ou simplesmente o Tioglicolato de AMP. Ele tanto serve para se fazer um liso intenso como para fazer uma desintoxicação capilar.

O que é o produto

O produto é uma associação do ácido tioglicólico com o amino metilpropanol, que promove a formação de um inovador composto químico baseado em oxiredução de baixa intensidade.

Produto com altíssimo nível de tolerância com outras químicas capilares

Alta resistência à sobreposição e reaplicação; não acidifica o fibra capilar como as escovas progressivas.

Não promove a desnaturação proteica da estrutura capilar.

Não altera a cor dos cabelos (amarelão), sem cheiro, sem fumaça ou necessidade de luvas de proteção.

Procedimento rápido e fácil aplicação.

 AMP no Alisamento Conjugado – Alisamento e Descoloração
Alisamento Conjugado



O Tioglicolato de AMP, como ativo moderno e recém-desenvolvido que é, continua proporcionando uma série de características inovadoras que permitem o desenvolvimento de novos aplicativos com base em sua tecnologia sem igual no mundo.

A atuação do Tioglicolato de AMP no Alisamento Conjugado é fantástica, pois permite algo impensável para qualquer profissional cabeleireiro: realizar um processo alisante logo após uma descoloração ou super clareamento.

AMP como Redutor de Volume – Conceito de Progressiva

Progressive Liss Conception



Graças à sua capacidade de modelação da estrutura capilar, o Tioglicolato de AMP apresenta resultados muito satisfatórios como redutor de volume dos cabelos, representando um conceito diferente de progressiva no mercado.


Atua de uma forma incrível, alisando os fios, efetivamente, sem escova ou chapa térmica, as quais são usadas apenas como opções para finalização.

Espero ter atendido a todos os pedidos de uma  escova segura sem danos.

Imagens: arquivo pessoal.

domingo, 9 de abril de 2017

#tiposdecabelo #comocuidar #cabelovolumoso #poucocabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro

TIPOS DE CABELOS
DENSIDADE E ESPESSURA 




Olá pessoal!

Agora vamos escrever um pouco sobre a densidade e a espessura dos fios de nossos cabelos, para assim realizamos uma melhor analise do tipo de cabelos que temos e de quais cuidados deveremos ter e quais produtos utilizarmos para não cairmos em erro.

DENSIDADE – o que é



Enquanto a espessura do cabelo mede os fios individuais de cabelo, a densidade refere-se à quão de perto esses fios estão juntos em nossa cabeça. A densidade do cabelo também pode ser afetada pela textura, porosidade e espessura do cabelo. Conhecer a sua densidade de cabelo, juntamente com o seu padrão de “Curl”, porosidade e espessura, irá ajudá-lo a escolher os produtos certos, estilos e cortes para manter o volume de seu cabelo. 

Qual é a densidade?



Se você foi dito "seu cabelo é tão grosso!" Que a pessoa pode realmente ter sido aludindo à densidade do cabelo, porque o cabelo "grosso" refere-se tecnicamente à espessura de um único fio de cabelo. Densidade do cabelo refere-se ao número de fios em sua cabeça, assim que sua densidade pode ser medida contando o número de cabelos encontrados em uma polegada quadrada do seu couro cabeludo.

1. Conte-os
Em média, cada pessoa tem cerca de 2.200 fios de cabelo por polegada quadrada em seu couro cabeludo, de modo contando pode ser uma tarefa tediosa. Mas é uma opção.

 2. Você pode ver o seu couro cabeludo?
Alternativamente, você pode julgar sua densidade do cabelo fazendo exame de um olhar nele em seu estado natural. Não parte seu cabelo - deixá-lo ficar solto e dar uma olhada no espelho. Você pode ver o seu couro cabeludo sem mover qualquer cabelo? Se você puder, você provável tem a densidade baixa do cabelo. Se você pode ver o seu couro cabeludo com pouco ou nenhum esforço, então você provavelmente tem densidade média. Se é difícil ver o seu couro cabeludo, você tem alta densidade de pelos.

3. Meça seu rabo de cavalo
Outra maneira de medir a densidade aproximada é colocar o seu cabelo em um rabo de cavalo e medir a circunferência do rabo de cavalo. O cabelo da baixa densidade será menos do que duas polegadas, a densidade média medirá entre dois a três polegadas, e a densidade elevada será pelo menos quatro polegadas.

DENSIDADE BAIXA


Se você tem baixa densidade de cabelo, use produtos leves que não vão pesar no cabelo para baixo e reduzir o seu volume. Use uma mousse para fazer seu cabelo ficar mais cheio, e considere o uso de shampoos de volume e condicionadores com agentes espessantes. Simples, penteados arredondados também permitirão que seus cachos ou ondas venham cair no lugar e dar a aparência de mais volume.

DENSIDADE MÉDIA


Se você tem cabelo de densidade média, você pode usar uma variedade de produtos, estilos e cortes para melhorar a sua textura. Experimente mousse e shampoo seco para dar volume, ou usar cremes mais pesados e manteigas para dar seu cabelo mais peso e pendurar. A técnica de “CoWash” permitirá que sua textura de seu cabelo fique mais brilhante, enquanto torções e tranças vão funcionar bem para alterar seu padrão de “curl” e dar-lhe mais estrutura.

ALTA DENSIDADE


Se sua densidade de cabelo é alta, escolha produtos pesados, como géis, cremes e manteigas para manter seus cachos juntos e reduzir o volume. Penteados em camadas também funcionam bem para cabelos com alta densidade.

Por que a densidade importa?
Conhecer a densidade do seu cabelo irá ajudá-lo a fazer escolhas mais inteligentes, não só nos estilos que você usa, mas os produtos que você usa ao formar um regime de cabelo saudável. Usando produtos leves em cabelos de baixa densidade é útil para não pesar o cabelo para baixo e torná-lo olhar gorduroso ou sem vida. Os géis e os cremes mais grossos são geralmente ideais para o cabelo ‘curly’ de alta densidade. É útil na manutenção da forma e textura do cabelo. Cabelo de média densidade funciona bem com condicionadores e produtos sem enxague.

Conhecer a densidade de cabelo também ajuda a identificar que tipo de penteados é mais adequado para você. Se o seu estilista faz um teste de densidade de cabelo, ou, se você já sabe a sua densidade de cabelo, é mais fácil escolher os estilos que irá atendê-lo bem. Por exemplo, cabelo mais espesso tende a estilo mais fácil com camadas mais longas e cabelos mais finos com cortes sem corte.

Apenas lembre-se de cada tipo de cabelo é diferente, por isso o fator de densidade é importante na próxima vez que você faz uma compra em sua loja de beleza.

ESPESSURA



DETERMINAÇÃO DA ESPESSURA DO CABELO
Para encontrar a espessura do fio de cabelo, pegue um fio cabelo de uma escova ou pente e mantê-lo até a luz. Se o cabelo é muito grande e facilmente visível, então você tem cabelos grossos. Se for tão fino que você mal pode vê-lo, você tem cabelos finos. Se seu cabelo não aparece nem fino nem grosso, você tem o cabelo de largura média.

GROSSO
Os fios no cabelo grosso são muito largos na circunferência, fazendo lhes o mais forte de todas as texturas do cabelo. Como resultado, é fácil manter o comprimento com cabelo grosso, uma vez que é mais resistente a danos.
MÉDIO
O cabelo com a largura média consiste nos fios que são fortes e elásticos, e nem muito finos nem demasiado grossos. Cabelo de largura média também é um pouco resistente a danos, tornando-se fácil de manter o comprimento.
FINOS
Cabelo com largura fina tem uma circunferência muito pequena e é muito delicado e fácil de danificar. Como resultado, é muitas vezes difícil manter o comprimento com cabelos finos. Condicionamento profundo depois de lavar é uma boa maneira de nutrir e fortalecer o cabelo fino. Você também vai querer manter a manipulação do seu cabelo a um mínimo para evitar quebra desnecessária, reduzindo o uso de pentes e escovas e direção clara de penteados elaborados, de alta manutenção.

Bem para encerrar vamos lembrar sempre, cabelos grossos e com muita densidade, são mais volumosos e necessitam mais produtos, inclusive nos processos químicos, já os cabelos finos e menos densos menos produtos sempre.

Agora que você já conhece seu tipo de cabelo fique de olho nos tratamentos químicos e nos produtos que você vai adquirir.

Fontes
Tricologia e a Quimica Cosmética Capilar - John Halal - Ed.Cengage
Manual de Tricologia Medica - Valcinir Bedin - Savoir Editora 

Imagens: Internet e Pinterest




segunda-feira, 3 de abril de 2017

#cabeloproroso #oquefazer #comocuidar #tiposdecabelo #falandodecabelo

POROSIDADE DO FIO DO CABELO
O que é e como tratar.



Olá pessoal!

Nesta postagem vamos continuar a tratar dos tipos de cabelo. Agora a porosidade o que é e como isto interfere na escolha dos produtos que vamos utilizar. Se você chega ao seu cabeleireiro e quer tratar o seu cabelo e ele não examina, tenha cuidado, pois talvez ele não entenda nada de cabelo, ou se para tudo e todas as clientes ele só indica fazer escova ácida, fuja dele, pois ele está longe de ser um bom profissional.

A porosidade é importante, principalmente, para quer tem cabelos crespos, na quadro de classificação de curvas a 4.



Então vamos lá.

POROSIDADE




Porosidade refere-se a quão bem o seu cabelo é capaz de absorver e manter a umidade. É afetada pela camada de cabelo exterior flexível chamado a cutícula, que determina como a umidade e os óleos facilmente passam dentro e fora de seu cabelo.

 Para a maioria, a porosidade é genética, mas também pode ser afetada por fatores externos como exposição, tratamentos térmicos e processamento químico. Conhecer a porosidade do seu cabelo pode ajudá-lo a escolher os produtos certos para manter o cabelo bem hidratado, flexível, forte e brilhante.

DETERMINAÇÃO DA POROSIDADE DO CABELO



Existem dois métodos que você pode usar para descobrir como seu cabelo é poroso.

O teste do flutuador: Pegue uns de fios de cabelo de seu pente ou escova e solte-os em uma tigela com água. Deixe-os sentar por 2-4 minutos. Se o seu cabelo flutua, você tem baixa porosidade. Se ele afundar, você tem alta porosidade.

O teste Slip'n'Slide: Tome uma mecha de cabelo e deslize seus dedos até o eixo (em direção ao couro cabeludo). Se você sentir pequenas colisões ao longo do caminho, isso significa que sua cutícula é levantada e que você tem alta porosidade. Se seus dedos deslizam suavemente, então você tem cabelo de baixa porosidade.

Então temos 3 tipos de porosidade, baixa media e alta.




BAIXA POROSIDADE

O cabelo com baixa porosidade tem uma camada de cutícula firmemente ligada com escalas sobrepostas que ficam planas. Este tipo de cabelo é geralmente considerado saudável, e muitas vezes são muito brilhantes, especialmente quando é escuro na cor. Cabelo de baixa porosidade repele umidade quando você tenta molhá-lo e é difícil de processar uma vez que resiste à penetração de produtos químicos.

Cabelo de baixa porosidade também é propenso a acúmulo de produtos de condicionamento  ricos em proteínas, o que pode deixá-lo sentir rígido. Stick para livre de proteínas, condicionadores diários com umectantes como glicerina ou mel. Use calor moderado com tratamentos de condicionamento profundo livre de proteína para ajudar a abrir a cutícula fortemente ligada.

Cabelo de baixa porosidade requer hidratantes ricos em emolientes, como manteiga de karité, óleo de jojoba, óleo de coco e óleo mineral. Ele também beneficia de produtos umectantes, que atraem e mantêm a umidade ao seu cabelo. Escolha produtos mais leves, baseados em líquido, como leites capilares que não se sentarão em seu cabelo e deixá-lo oleoso ou gorduroso.

POROSIDADE MÉDIA

 Cabelo com porosidade média muitas vezes requer a menor quantidade de manutenção. A camada de cutícula é mais solta, permitindo apenas a quantidade certa de umidade para entrar, evitando muito de escapar. Cabelo com porosidade normal tende a manter estilos e pode ser permanentado e colorido com resultados previsíveis. Ao longo do tempo, no entanto, estes processos podem danificar o cabelo e aumentar a sua porosidade.

Ocasionais tratamentos de condicionamento profundo com condicionadores de proteínas podem beneficiar o cabelo de porosidade média, mas as proteínas não devem ser incluídas no seu regime diário.

ALTA POROSIDADE

 Alta porosidade pode ser uma propriedade inerente do cabelo ou o resultado de danos causados pelo processamento químico, tratamento áspero ou danos ambientais. Cabelo de alta porosidade tem lacunas e buracos na cutícula, que deixam muita umidade em seu cabelo e deixá-lo propenso a frizz principalmente em clima úmido. Mesmo atos simples, como banhos, natação e shampoo podem criar mais danos e quebra devido à enorme quantidade de umidade que o cabelo pode absorver.

Certifique-se de usar ante umectantes em climas com alta temperatura e umidade. Isso ajudará a selar suas cutículas danificadas e impedi-los de absorver o excesso de umidade no ar.

Porque cabelo altamente poroso também pode perder umidade facilmente, é importante usar condicionadores sem enxague, moisturizers e selantes. Então, estes produtos irao ajudar o seu cabelo segurar a umidade que você está dando. Você pode até mesmo acompanhar com uma manteiga de cabelo pesado para ajudar a preencher as lacunas em suas cutículas danificadas e ainda proteger seu cabelo de perder demasiada umidade.

Na próxima postagem irei tratar da DENSIDADE, mas para finalizar esta matéria lembre se você tem cabelos menos densos use produtos mais leves. Se você tem cabelos densos, use produtos mais pesados. O cabelo poroso necessitará mais umidade de modo que não o suga dentro do ar e do frizz. Adicione estas rotinas e produtos a sua rotina diária do cuidado do cabelo para realçar mais seus cachos.

Imagens: Pinterest

Consulta: Tricologia e a química cosmética – John Halal – Ed. Cengage.