quarta-feira, 31 de maio de 2017

#comocuidarcabeloscacheados #cabeloscacheados #cabeloscrespos #dicas #falandodecabelo #paolocabeleireiro

CACHOS QUE TE QUERO CACHOS




Olá pessoal!

Vamos  tratar um pouco de como cuidar dos cabelos cacheados e crespos.

Para quem tem cabelos crespos ou cacheados, sabe que não e fácil doma-los, sem passar algum tempo em frente ao espelho. E é por essas e outras, que muitas mulheres preferem passar por processos de alisamentos simplesmente por não saber como cuidar corretamente.

Os Cachos estão em alta  e promete ser ainda tendência para o por um bom tempo, porem eles precisam estar impecáveis, para garantir um aspecto natural e despojado, e para isso tudo começa na higienização.

 HIGIENIZANDO UM CABELO CACHEADO

Não ha necessidade de lavar os cabelos todos os dias, pois os cabelos cacheados já são naturalmente secos, pois a oleosidade natural da área de crescimento também chamada como emulsão epicutânea, não consegue chegar ate as pontas, portando se lavar os cabelos todos os dias tendem a ficar mais ressecados.
Outra dica é preferir os shampoos hidratantes, sem sulfatos com uma base bem lipídica, caso não tenha oleosidade na área de crescimento, caso contrario use um shampoo para oleosidade no couro cabeludo e a mascara e condicionador no comprimento as pontas.
Obs.: não se deve esfregar um cabelo cacheado com o shampoo e sim apertá-lo em direção ao couro cabeludo, como se tivesse aplicando um modelador, isso já vai dando forma ao fio evitando os frizz e má formação dos cachos, além de deixa-lo higienizado.

MASCARA E CONDICIONADOR

Apos o shampoo e hora das mascaras e dos condicionadores escolham sempre as com bases lipídicas (óleo), para melhor resultado o ideal e aplicar as mascara deixando um tempo de pausa de 10 a 15min e depois o condicionador pausando por 5 minutos,
Para aplicação da mascara separe os capelos por mechas e enluve para espalhar bem e aperte, mecha a mecha, enxaguar depois do tempo de pausa e use o condicionador, agora e hora de pentear, com os cabelos úmidos e aplicado o condicionador pente-os, escolha um pente de médio a largo e de preferencia de madeira ou de carbono, enxague bem, e sem tirar muito a umidade vamos para o leave-in (condicionadores sem enxague).

CONDICIONADOR SEM ENXAGUE (LEAVE-IN)

São fundamentais para os cabelos crespos e cacheados. alem de evitarem o frizz, garantem a hidratação e mantem a umidade natural dos fios por mais tempo.
Aplique nos cabelos ainda úmido, também usando a técnica de mecha a mecha, porem sem passar os dedos, somente fitando, com uma toalha de microfibra seque os cabelos apertando os em direção do couro cabeludo segure por alguns segundos e prontos, cachos definidos domados e sem frizz.

MODELADORES

Prefira os leave-in de estilização  ou séruns de modelar, caso venha usar use logo apos o leave-in ainda com os cabelos úmidos e depois aperte com a tolha de micro fibra.

GARFOS PARA PENTEAR

Muito bem vindos para cabelos crespos e cacheados, existem vários modelos segue alguns abaixo, porem devem ser usados somente na raiz soltando do couro cabeludo sem abrir os cachos, para quem gosta de mais volumes.



 Este modelo ajuda dar um volume médio.

 




Já este para quem quer muito volume









 E esta mais para cabelos crespos e cacheados mais finos e ralos.


 





 Imagens: Internet

terça-feira, 30 de maio de 2017

#oleodericino #tratamentocabelo #hidratação #cabelo #quedacabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro



Óleo de Rícino para Fortalecimento dos Cabelos



Olá pessoal!

Hoje irei tratar do óleo de rícino para fortalecer os cabelos, ele é diferente dos óleos essenciais.
Na postagem anterior, tratei dos óleos essências para a saúde e beleza dos cabelos. Então vamos recordar o que são os óleos essências.

O que são óleos essenciais?

Óleos essenciais são substâncias voláteis extremamente concentradas, que possuem princípios ativos de acordo com suas composições químicas. Dependendo da planta, o óleo essencial terá características diferenciadas de aroma, cor e densidade. Os óleos essenciais podem ser usados diluídos em veículos carreadores sobre a pele, através de massagens, cremes, loções, gel ou puro, através da inalação. Seu objetivo é proporcionar bem estar físico e emocional, já que possui diversos componentes químicos terapêuticos.

Em geral, são necessários muitos quilos de plantas para extrair uma quantidade pequena de óleo essencial. Por exemplo, para extrair 1 litro de óleo de lavanda, são necessários 350kg de flores de lavanda.

Pra que servem os óleos essenciais?

O uso dos óleos essenciais é bastante popular nas áreas farmacêutica, terapêutica e cosmética. A fitoterapia e a aromaterapia devem a sua fama ao uso das substâncias odorantes. Alguns óleos essenciais são muito conhecidos por suas propriedades medicinais: o óleo de cravo-da-índia é um analgésico muito poderoso, bastante utilizado na área dentária; o de lavanda e o de maleleuca serve como antisséptico.

No campo da cosmética, eles servem para perfumar produtos como shampoos, sabonetes, cremes entre outros, e também estão presentes em dose moderada em produtos de cuidados. Os óleos essenciais estão em todos os lugares, até mesmo em detergentes e produtos de limpeza, que recorrem às suas virtudes aromáticas e suavizantes.

Então vamos conhecer o Óleo de Ricino


Óleo de Rícino para Fortalecimento dos Cabelos



Está com os cabelos fracos, quebradiços, danificados, ressecados, caspa ou queda de cabelo? Então que tal experimentar um óleo que pode ajudar muito nesses problemas?

O óleo de rícino é o óleo extraído das sementes da mamona (ricinus communis), uma planta bastante comum em nosso país. A semente da mamona contém entre 40 e 50% de óleo. A semente em si é tóxica, mas o seu óleo, rico em ácido ricinoleico, não é tóxico (já que a ricina não é solúvel em óleo).

A mamona é muito útil devido à ação anti-inflamatórios e antioxidante, tendo diversas aplicações.

O que o Óleo de Rícino Pode Tratar?



Queda de cabelo
Constipação intestinal
Infecções por fungos
Distúrbios menstruais
Problemas gastrointestinais
Queimaduras de sol
Inflamações
A pele também pode ser muito beneficiada com o óleo, já que ele tem efeito emoliente, penetra na pele hidratando-a e estimulando a produção de colágeno e elastina, prevenindo assim, rugas e linhas de expressão. Além disso, trata a  pele seca e dermatites.

Benefícios do Óleo de Rícino para os Cabelos

Fortalece os fios
Combate à queda dos cabelos
Combate a quebra dos fios
Contém vitamina E, minerais e vitaminas que auxiliam no crescimento.
Ativa a circulação no couro cabeludo
Contém propriedades anti-bacterianas e anti-fúngicas
Trata pele seca e coceira no couro cabeludo
Ajuda no tratamento de calvície e alopécia
Diminui caspas (usando na raiz)
Hidrata e recupera os fios profundamente
Encorpa os fios
Sela as cutículas da fibra capilar dando brilho
Ajuda manter a hidratação dentro dos fios (sela)

Óleo de Rícino para Hidratar e Nutrir os Fios

Além de tratar o couro cabeludo, o óleo de rícino condiciona e hidrata os cabelos, prevenindo pontas duplas.

Se você faz o cronograma capilar, na fase de nutrição, você pode colocar uma colher de chá de óleo de rícino e 2 colheres de sopa do seu creme hidratante preferido. Se preferir pode adicionar manteiga de Karité. Misture tudo, passe nos cabelos úmidos lavados apenas com shampoo, deixe agir por 20 ou 30 minutos e enxágue.

Para as pontas duplas, misture o óleo de rícino com óleo de coco. Passe a mistura apenas nas pontinhas dos fios, deixe agir por 2 horas e lave os cabelos normalmente.



Importante: Em consistência, o óleo de rícino é grosso (espesso) e pegajoso; por isso evite passar o óleo puro no comprimento dos fios.

Óleo de Rícino para Queda de Cabelo

O óleo de rícino pode impedir o crescimento de micro-organismos, como bactérias e fungos que podem afetar a saúde do seu couro cabeludo e, assim, ele pode impedir a perda de cabelos.

O óleo de rícino contém muitos compostos naturais altamente benéficos que estimulam o crescimento capilar, e embora não seja uma panaceia contra a calvície, pode ser utilizado como um tratamento coadjuvante para amenizar a perda de cabelo e fazer os cabelos crescerem mais espessos e fortes.

Se a perda de cabelos for devido a  fatores genéticos, o uso de óleo de mamona como um tratamento de queda de cabelo não vai curar o problema. Porém, pode sim ajudar a minimizar a taxa de queda.

Como o óleo de rícino estimula o crescimento capilar?

O óleo de rícino, quando aplicado e massageado diretamente sobre o couro cabeludo, estimula o crescimento de um cabelo forte e saudável, pois ele melhora a circulação sanguínea, o que é vital para estimular o crescimento do cabelo.

Contém ácido graxo omega 6 que estimula o couro cabeludo e folículos pilosos, fortalecendo os fios, de modo que quando eles crescerem, ficarão menos frágeis.


A aplicação não requer nenhum preparo especial: basta utilizar o óleo de rícino diretamente no couro cabeludo, massageando os cabelos por mais ou menos 5 minutos. Após isso, colocar uma touca plástica e deixar o produto agir por algumas horas. Depois lave os cabelos normalmente.

Imagens: Internet e Pinterest
Bibliografia: Manual da Terapia Capilar - Denise Braga - Ed.Senac
Terapia Capilar - Uma abordagem Complementar - Leonardo Wichrowski - 

quinta-feira, 25 de maio de 2017

#oleosessencias #tratamentocabelo #hidratação #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Óleos Essências 
para beleza e saúde dos cabelos



Olá pessoal!

Certamente você já ouviu falar que os óleos essenciais possuem muitas funções e que são benéficos para a saúde. Hoje nós vamos falar de óleos essenciais para tratamento dos cabelos.

Os óleos essenciais são essências botânicas da natureza e podem fazer maravilhas para os cabelos e couro cabeludo. Eles podem ser usados ​​para purificar o couro cabeludo, fortalecer, melhorar a irritação e controlar a caspa. Alguns óleos essenciais estimulam os folículos pilosos, melhoram a circulação e ajudam no crescimento quando está lento. Os óleos essenciais também ajudam controlar a oleosidade no couro cabeludo, o que atrapalha a oxigenação e, consequentemente, o crescimento dos fios.

Quais os melhores óleos essenciais para os cabelos?

Óleo Essencial de Alecrim



O óleo essencial de alecrim é um estimulante dos folículos pilosos favorecendo o crescimento saudável dos cabelos. É rico em antioxidantes que ajudam a eliminar os radicais livres – que são responsáveis ​​pelo envelhecimento, bem como a perda de cabelos. Ajuda no fortalecimento mantendo os fios saudáveis. O óleo de alecrim também é eficaz no tratamento da caspa, oleosidade, coceira e irritação do couro cabeludo.

Óleo Essencial de Hortelã




 O óleo essencial de hortelã é uma potência de nutrientes, minerais e alguns ácidos graxos; é excelente para o tratamento dos cabelos. Ele ajuda estimular o fluxo de sangue melhorando o desempenho do crescimento.  Tem propriedades antissépticas e antimicrobianas que ajudam a manter o couro cabeludo limpo, melhorando a caspa. Também é muito eficiente para queda de cabelo.

Óleo Essencial de Ylang Ylang




O óleo essencial de ylang ylang nutre os folículos melhorando o crescimento saudável dos cabelos. Ele equilibra o couro cabeludo oleoso, ajudando a normalizar a produção de sebo. As propriedades antissépticas e tônicas naturais, ajudam a manter  o couro cabeludo saudável.

Óleo Essencial de Lavanda




O óleo essencial de lavanda é muito versátil e tem uma tradição bem estabelecida como um remédio popular.  Ajuda a equilibrar os óleos naturais do couro cabeludo, possui propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e antimicrobianas que ajudam no tratamento da caspa seca. Ele acalma e nutre o couro cabeludo, proporcionando alívio de condições inflamatórias do couro cabeludo.

Óleo Essencial de Cedro




O óleo essencial de cedro ajuda a regular o couro cabeludo quando este é muito seco ou muito oleoso; equilibra seu pH. Estimula os folículos pilosos melhorando o desempenho do crescimento. Esse óleo também é usado para tratar a caspa, pois é antisséptico e tem ação adstringente.

Outros Óleos Úteis para os Cabelos

Diversos outros óleos essenciais são utilizados na aromaterapia para estimular o crescimento dos fios, combater a queda, caspa, oleosidade excessiva e fortalecer os cabelos:

O óleo essencial de melaleuca tem diversas propriedades que trata condições inflamatórias do couro cabeludo.
O óleo essencial de manjerona combate à quebra dos fios.
O óleo essencial de sálvia purifica, combate a caspa e deixa os fios mais fortes.
O de tomilho é antisséptico, estimula o fluxo o fluxo sanguíneo e revigora couro cabeludo para ajudar com a perda de cabelo.
O de limão purifica e melhora a oleosidade.

Como usar óleos essenciais nos cabelos?



Os óleos essenciais são altamente concentrados: eles são muito fortes e não podem ser usados sozinhos no tratamento dos cabelos.  Os óleos essenciais podem ser usados com óleos vegetais (óleos carreadores), máscara capilar, shampoo e em máscaras com argila. Também podem ser diluídos em água, chás a base de plantas, extratos glicólicos, hidrolatos e água floral.

Massagem Capilar com Óleo Vegetal

Existem vários óleos vegetais que podem ser usados para tratar o couro cabeludo: veja os melhores aqui. Para fazer a massagem capilar, escolha seu óleo essencial preferido e coloque 3 gotas em uma colher de sopa (10ml) de óleo vegetal. Passe a mistura no couro cabeludo, massageie e deixe agir por 1 hora. Em seguida, lave os cabelos normalmente com shampoo e condicionador.

Óleo Essencial na Máscara

Lave os cabelos com shampoo. Retire o excesso de água com uma toalha. Escolha uma  máscara capilar própria para ser usada no couro cabeludo. Separe a quantidade de máscara que vai ser usada (para o couro cabeludo e cabelos), acrescente 5 gotas do seu óleo essencial preferido.  Misture e passe no couro cabeludo e nos fios; deixe agir conforme a indicação do fabricante da máscara e em seguida enxágue bem os cabelos.

Óleo Essencial na Máscara de Argila

Os óleos essenciais também podem ser adicionados na argilo terapia capilar. Prepare uma pasta misturando água e argila: adicione 3 gotas de óleo essencial, misture bem e passe no couro cabeludo. Deixe agir por 20 minutos e em seguida lave os cabelos normalmente com shampoo e condicionador.


Que tal experimentar?

Imagens: Internet
Bibliografia; Manual de terapia capilar - Denise Braga - Ed Senac.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

#escovaprogressiva #alternativaaoformol #formol #escovasemformol #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Alisamento ético é opção segura para o cabelo e não prejudica os fios



Hidróxido de sódio é uma das opções. Uso do formol é proibido pela Anvisa e traz muitos riscos para a saúde, como câncer.

Olá pessoal!

No último dia 11/05/2017 o programa “Bem Estar” voltou a falar dos malefícios  dos “deidos” para a saúde de clientes e profissionais cabeleireiros.

Abaixo segue a matéria de divulgação do programa e o vídeo.

Muita gente já fez e muita gente faz o alisamento com formol, mas ele faz muito mal para a saúde e risco de câncer. Tanto para quem está fazendo o procedimento, quanto para quem está manuseando e aplicando o produto.

Mas como alisar o cabelo sem prejudicar a saúde? O Bem Estar convidou dois especialistas para falar sobre o assunto nesta quinta-feira (11): a dermatologista e consultora Márcia Purcelli e o químico Celso Martins Júnior.

O formol, apesar de ter sido proibido pela Anvisa, ainda é muito utilizado em salões de beleza, pois apresenta baixo custo, alta performance e rapidez no processo de alisamento. Entretanto, as reações químicas que o formol promove na cutícula do fio destroem o cabelo por dentro, deixando poroso e fraco a médio e longo prazo.


Uma opção para quem quer alisar o cabelo são os alisamentos éticos. Eles têm o princípio ativo regulamentado e reconhecido pela Anvisa. São eles: hidróxido de sódio (indicado para cabelos crespos e usado por barbeiros para texturização de cabelos masculinos); tioglicolato de amônio (indicado para cabelos ondulados e coloridos); tioglicolato de AMP (bons resultados para cabelos que sofreram com outros processos químicos); e cisteamina de sódio (usado para cabelos crespos, cacheados e ondulados).

Imagens: Internet e Youtube

domingo, 14 de maio de 2017

#diadasmães #falandodecabelo #paolocabeleioreiro

FELIZ DIA DAS MÃES


Hoje 14 de maio de 2017, quero desejar a todas as mamães, leitoras do blog um domingo abençoado para todas.
Beijão e obrigado por me acompanhar aqui.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

#marsala #tirarvermelhodocabelo #dicacabeleireiro #flandodecabelo #descolorir #comofazer

Cansei do cabelo vermelho (marsala).
Como vou retirar a cor.




Olá pessoal!

Bem, no inverno passado o tom Marsala comandava as cabeças, mas agora você cansou e quer retirar esta cor, mas não deseja passar nem castanho escuro nem preto. Então o que fazer¿

Bem descolorir um cabelo vermelho não é uma tarefa, nem para os expert em coloração, pois o vermelho fixa e muito na haste capilar, portanto, combine com seu cabeleireiro um tom mais quente e que não seja muito claro, tipo um marrom suave ou até mesmo um vermelho acobreado.

Como eu já expliquei em outra postagem, a molécula do pigmento sintético é maior do que a molécula do pigmento natural do cabelo. Por esse motivo é mais difícil descolorir cabelos tingidos. No processo de oxidação a molécula diminui temporariamente e penetra na cutícula aberta pelo oxidante, em seguida ela volta ao seu tamanho comum, fixando no cabelo.



As Diferenças Entre As Tintas de Cabelo

Existem diferentes tipos de coloração de cabelo vermelhas: Permanente, semipermanente e fantasia. A permanente é a que possui moléculas maiores e a fantasia apresenta moléculas menores, a semipermanente possui moléculas menores do que a permanente e maiores do que a fantasia. Isso com certeza vão influenciar na dificuldade de remoção da tinta.

Outro fator importante para se observar é a pigmentação da tinta. As mais pigmentadas – geralmente mais escuras, mas isso não é regra – são mais difíceis de tirar do que as menos pigmentadas.

Vamos analisar o cabelo

Bom vamos começar, veja como esta seu cabelo, uma boa analise é fundamental para o sucesso trabalho, esta bem hidratado, não tem nenhum tipo de “escova progressiva” ou “escova acida” etc... estas informações são de suma importância, nunca omita isto em qualquer tipo de trabalho que for realizar em seu cabelo, mesmo que faça algum tempo que você não faça nada no cabelo.

Se o fio não estiver bom, faça reconstruções antes de fazer a decapagem da cor, para o cabelo não sensibilizar ainda mais o cabelo.

O cabelo estando perfeito, vamos definir a cor desejada, um vermelho acobreado, um marrom claro, ou até mesmo um castanho clarinho, mas nunca parte de imediato para um louro, pois o resultado não será bom.


Tudo pronto vamos começar então.

- Vamos higienizar os fios do cabelo, não o couro cabeludo, utilizando um shampoo de limpeza, mas um pH compatível com o cabelo, não alcalino de mais.

- Vamos proteger os fios com um produto tipo Keraflex, pois aumenta a resistência do mesmo.

- Vamos iniciar a mistura do descolorante pelo comprimento e pontas, na mistura do descolorante utilize um peroxido de 30 volumes, e conformo indicações do fabricante. Após vamos fazer o processo na parte próxima ao couro cabeludo e igualar a cor do meio e pontas.

- Pronta esta fase, altura de tom atingida (cobre) vamos passar para o processo de matização.

- Se a cor escolhida for acobreada, vamos matizar com uma coloração acobreada tipo 7.4 e peroxido de 3%, se for um tom marrom vai utilizar a coloração 6.1 com peroxido de 3%.

Decorrido o tempo de pausa da matização lavar os cabelos e hidratar.

Com a nova cor vamos agora mostrar para as amigas e ser feliz com a nova cor.

Imanges: internet e pinterest

terça-feira, 2 de maio de 2017

#matizar #tonalizar #desamarelar #dicascabeleireiro #falandodecabelo

Matizar ou tonalizar os cabelos após a descoloração



Olá pessoal!

Matizar ou tonalizar os cabelos após a descoloração? Acho que já ouvi essa pergunta centena de vezes. Mas tem uma regra a ser seguida?

Você descoloriu o cabelo, tirou o descolorante. O que fazer agora?

Tudo vai depender de quanto abriu a cor, ou o tom que ficou.


Tonalizar com coloração (tonalizante).

Além de tirar o amarelo ou laranja que muitas vezes fica após a descoloração, ainda dá uma cor ao loiro. É mais durável que a matização.

Ficou amarelo?
 Use coloração com final 2 que tem roxo (irisado). Cuidado com as de finais 1, pois como tem pigmento azul, e azul com amarelo é igual a verde, todo cuidado é pouco.

Ficou mais dourado?
 Coloração com final 1, tem azul e cinza. Apenas cuidado com as de final 11 que geralmente podem chumbar o cabelo.


Como fazer essa tonalização?
Essa tonalização é feita com uma parte de coloração e duas de oxidante de 10 volumes. Passe no cabelo assim que tirar o descolorante, antes mesmo de tirar a touca, no caso de ter feito luzes na touca.

O tempo vai de cada cabelo e do grau de clareamento. Quanto mais claro, mais rápido tonaliza.

Se o cabelo ficou bem branquinho, primeiro agradeça a Deus, porque são raros. Nesse caso se quiser um tom perolado pode usar uma coloração com final 89 ou 21. Tem 9,89; 9.21 ou a 10.21. Mas pode usar o tom de loiro que quiser. Ai vai do gosto.

O modo de usar é o mesmo que passei acima. A menos que seja a 12.89 ou 12.21 tem que usar oxidante de 30 volumes senão amarela o cabelo.


Matizar com máscaras matizadoras.



Particularmente eu prefiro apenas matizar com matizadores bem potentes tipo o P21, pois ele consegue tirar bem o amarelado e o douradinho que fica logo após a descoloração.
Como eles vem prontos de fabrica não se comete erros, e já provocam uma boa hidratação ao fio.
Nesse caso do matizador é mais simples ainda.  Passo e vou olhando.

Mas vejam bem: se ficou um laranja/dourado muito forte e não abriu muito, nem tonalizar e nem matizar vai adiantar nada. Ai o caso é descolorir esse cabelo de novo.

A regra da cor do matizador é a mesma pra tonalização. Tons amarelos usem produtos roxos, e dourados produtos azuis.

 Já ouvi profissionais dizendo que tem que tonalizar após a descoloração, não que seja obrigatório, mas além de colocar cor no cabelo ela dura bem mais e o cabelo não fica amarelado com o passar do tempo e corrige a porosidade decorrente do produto de descoloração. E em casa você utiliza o matizar para manter a cor que saiu do salão.

Espero ter ajudado a todas as louras tirarem suas duvidas.

Imagens: Pinterest.



domingo, 23 de abril de 2017

#escovaprogressiva #alisamento #novoativos #paolocabeleireiro #falandodecabelo

Uma alternativa ao formol - Novo ativo
Escova progressiva – Escova ácida – chega destes produtos


Olá pessoal!

Recebo aqui no blog sempre perguntas o que utilizar no lugar das “escovas progressivas” a base de formol ou outros tipos de “deidos” como o ácido glioxílico, que quando aquecido tem o mesmo efeito que o formaldeído.

Existe sim um produto que vai substituir os “deidos” sem causar danos ao fio do cabelo, ou ao couro cabeludo, e também, sem a degradação da haste capilar como ocorre quando se utiliza as tais escovas progressivas ou ácidas, ou fazemos as selagens. E nem faz mal ao profissional cabeleireiro ou sua cliente.

Este ativo chama-se TIOGLICOLATO DE AMINO METILPROPANOL, ou simplesmente o Tioglicolato de AMP. Ele tanto serve para se fazer um liso intenso como para fazer uma desintoxicação capilar.

O que é o produto

O produto é uma associação do ácido tioglicólico com o amino metilpropanol, que promove a formação de um inovador composto químico baseado em oxiredução de baixa intensidade.

Produto com altíssimo nível de tolerância com outras químicas capilares

Alta resistência à sobreposição e reaplicação; não acidifica o fibra capilar como as escovas progressivas.

Não promove a desnaturação proteica da estrutura capilar.

Não altera a cor dos cabelos (amarelão), sem cheiro, sem fumaça ou necessidade de luvas de proteção.

Procedimento rápido e fácil aplicação.

 AMP no Alisamento Conjugado – Alisamento e Descoloração
Alisamento Conjugado



O Tioglicolato de AMP, como ativo moderno e recém-desenvolvido que é, continua proporcionando uma série de características inovadoras que permitem o desenvolvimento de novos aplicativos com base em sua tecnologia sem igual no mundo.

A atuação do Tioglicolato de AMP no Alisamento Conjugado é fantástica, pois permite algo impensável para qualquer profissional cabeleireiro: realizar um processo alisante logo após uma descoloração ou super clareamento.

AMP como Redutor de Volume – Conceito de Progressiva

Progressive Liss Conception



Graças à sua capacidade de modelação da estrutura capilar, o Tioglicolato de AMP apresenta resultados muito satisfatórios como redutor de volume dos cabelos, representando um conceito diferente de progressiva no mercado.


Atua de uma forma incrível, alisando os fios, efetivamente, sem escova ou chapa térmica, as quais são usadas apenas como opções para finalização.

Espero ter atendido a todos os pedidos de uma  escova segura sem danos.

Imagens: arquivo pessoal.

domingo, 9 de abril de 2017

#tiposdecabelo #comocuidar #cabelovolumoso #poucocabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro

TIPOS DE CABELOS
DENSIDADE E ESPESSURA 




Olá pessoal!

Agora vamos escrever um pouco sobre a densidade e a espessura dos fios de nossos cabelos, para assim realizamos uma melhor analise do tipo de cabelos que temos e de quais cuidados deveremos ter e quais produtos utilizarmos para não cairmos em erro.

DENSIDADE – o que é



Enquanto a espessura do cabelo mede os fios individuais de cabelo, a densidade refere-se à quão de perto esses fios estão juntos em nossa cabeça. A densidade do cabelo também pode ser afetada pela textura, porosidade e espessura do cabelo. Conhecer a sua densidade de cabelo, juntamente com o seu padrão de “Curl”, porosidade e espessura, irá ajudá-lo a escolher os produtos certos, estilos e cortes para manter o volume de seu cabelo. 

Qual é a densidade?



Se você foi dito "seu cabelo é tão grosso!" Que a pessoa pode realmente ter sido aludindo à densidade do cabelo, porque o cabelo "grosso" refere-se tecnicamente à espessura de um único fio de cabelo. Densidade do cabelo refere-se ao número de fios em sua cabeça, assim que sua densidade pode ser medida contando o número de cabelos encontrados em uma polegada quadrada do seu couro cabeludo.

1. Conte-os
Em média, cada pessoa tem cerca de 2.200 fios de cabelo por polegada quadrada em seu couro cabeludo, de modo contando pode ser uma tarefa tediosa. Mas é uma opção.

 2. Você pode ver o seu couro cabeludo?
Alternativamente, você pode julgar sua densidade do cabelo fazendo exame de um olhar nele em seu estado natural. Não parte seu cabelo - deixá-lo ficar solto e dar uma olhada no espelho. Você pode ver o seu couro cabeludo sem mover qualquer cabelo? Se você puder, você provável tem a densidade baixa do cabelo. Se você pode ver o seu couro cabeludo com pouco ou nenhum esforço, então você provavelmente tem densidade média. Se é difícil ver o seu couro cabeludo, você tem alta densidade de pelos.

3. Meça seu rabo de cavalo
Outra maneira de medir a densidade aproximada é colocar o seu cabelo em um rabo de cavalo e medir a circunferência do rabo de cavalo. O cabelo da baixa densidade será menos do que duas polegadas, a densidade média medirá entre dois a três polegadas, e a densidade elevada será pelo menos quatro polegadas.

DENSIDADE BAIXA


Se você tem baixa densidade de cabelo, use produtos leves que não vão pesar no cabelo para baixo e reduzir o seu volume. Use uma mousse para fazer seu cabelo ficar mais cheio, e considere o uso de shampoos de volume e condicionadores com agentes espessantes. Simples, penteados arredondados também permitirão que seus cachos ou ondas venham cair no lugar e dar a aparência de mais volume.

DENSIDADE MÉDIA


Se você tem cabelo de densidade média, você pode usar uma variedade de produtos, estilos e cortes para melhorar a sua textura. Experimente mousse e shampoo seco para dar volume, ou usar cremes mais pesados e manteigas para dar seu cabelo mais peso e pendurar. A técnica de “CoWash” permitirá que sua textura de seu cabelo fique mais brilhante, enquanto torções e tranças vão funcionar bem para alterar seu padrão de “curl” e dar-lhe mais estrutura.

ALTA DENSIDADE


Se sua densidade de cabelo é alta, escolha produtos pesados, como géis, cremes e manteigas para manter seus cachos juntos e reduzir o volume. Penteados em camadas também funcionam bem para cabelos com alta densidade.

Por que a densidade importa?
Conhecer a densidade do seu cabelo irá ajudá-lo a fazer escolhas mais inteligentes, não só nos estilos que você usa, mas os produtos que você usa ao formar um regime de cabelo saudável. Usando produtos leves em cabelos de baixa densidade é útil para não pesar o cabelo para baixo e torná-lo olhar gorduroso ou sem vida. Os géis e os cremes mais grossos são geralmente ideais para o cabelo ‘curly’ de alta densidade. É útil na manutenção da forma e textura do cabelo. Cabelo de média densidade funciona bem com condicionadores e produtos sem enxague.

Conhecer a densidade de cabelo também ajuda a identificar que tipo de penteados é mais adequado para você. Se o seu estilista faz um teste de densidade de cabelo, ou, se você já sabe a sua densidade de cabelo, é mais fácil escolher os estilos que irá atendê-lo bem. Por exemplo, cabelo mais espesso tende a estilo mais fácil com camadas mais longas e cabelos mais finos com cortes sem corte.

Apenas lembre-se de cada tipo de cabelo é diferente, por isso o fator de densidade é importante na próxima vez que você faz uma compra em sua loja de beleza.

ESPESSURA



DETERMINAÇÃO DA ESPESSURA DO CABELO
Para encontrar a espessura do fio de cabelo, pegue um fio cabelo de uma escova ou pente e mantê-lo até a luz. Se o cabelo é muito grande e facilmente visível, então você tem cabelos grossos. Se for tão fino que você mal pode vê-lo, você tem cabelos finos. Se seu cabelo não aparece nem fino nem grosso, você tem o cabelo de largura média.

GROSSO
Os fios no cabelo grosso são muito largos na circunferência, fazendo lhes o mais forte de todas as texturas do cabelo. Como resultado, é fácil manter o comprimento com cabelo grosso, uma vez que é mais resistente a danos.
MÉDIO
O cabelo com a largura média consiste nos fios que são fortes e elásticos, e nem muito finos nem demasiado grossos. Cabelo de largura média também é um pouco resistente a danos, tornando-se fácil de manter o comprimento.
FINOS
Cabelo com largura fina tem uma circunferência muito pequena e é muito delicado e fácil de danificar. Como resultado, é muitas vezes difícil manter o comprimento com cabelos finos. Condicionamento profundo depois de lavar é uma boa maneira de nutrir e fortalecer o cabelo fino. Você também vai querer manter a manipulação do seu cabelo a um mínimo para evitar quebra desnecessária, reduzindo o uso de pentes e escovas e direção clara de penteados elaborados, de alta manutenção.

Bem para encerrar vamos lembrar sempre, cabelos grossos e com muita densidade, são mais volumosos e necessitam mais produtos, inclusive nos processos químicos, já os cabelos finos e menos densos menos produtos sempre.

Agora que você já conhece seu tipo de cabelo fique de olho nos tratamentos químicos e nos produtos que você vai adquirir.

Fontes
Tricologia e a Quimica Cosmética Capilar - John Halal - Ed.Cengage
Manual de Tricologia Medica - Valcinir Bedin - Savoir Editora 

Imagens: Internet e Pinterest




segunda-feira, 3 de abril de 2017

#cabeloproroso #oquefazer #comocuidar #tiposdecabelo #falandodecabelo

POROSIDADE DO FIO DO CABELO
O que é e como tratar.



Olá pessoal!

Nesta postagem vamos continuar a tratar dos tipos de cabelo. Agora a porosidade o que é e como isto interfere na escolha dos produtos que vamos utilizar. Se você chega ao seu cabeleireiro e quer tratar o seu cabelo e ele não examina, tenha cuidado, pois talvez ele não entenda nada de cabelo, ou se para tudo e todas as clientes ele só indica fazer escova ácida, fuja dele, pois ele está longe de ser um bom profissional.

A porosidade é importante, principalmente, para quer tem cabelos crespos, na quadro de classificação de curvas a 4.



Então vamos lá.

POROSIDADE




Porosidade refere-se a quão bem o seu cabelo é capaz de absorver e manter a umidade. É afetada pela camada de cabelo exterior flexível chamado a cutícula, que determina como a umidade e os óleos facilmente passam dentro e fora de seu cabelo.

 Para a maioria, a porosidade é genética, mas também pode ser afetada por fatores externos como exposição, tratamentos térmicos e processamento químico. Conhecer a porosidade do seu cabelo pode ajudá-lo a escolher os produtos certos para manter o cabelo bem hidratado, flexível, forte e brilhante.

DETERMINAÇÃO DA POROSIDADE DO CABELO



Existem dois métodos que você pode usar para descobrir como seu cabelo é poroso.

O teste do flutuador: Pegue uns de fios de cabelo de seu pente ou escova e solte-os em uma tigela com água. Deixe-os sentar por 2-4 minutos. Se o seu cabelo flutua, você tem baixa porosidade. Se ele afundar, você tem alta porosidade.

O teste Slip'n'Slide: Tome uma mecha de cabelo e deslize seus dedos até o eixo (em direção ao couro cabeludo). Se você sentir pequenas colisões ao longo do caminho, isso significa que sua cutícula é levantada e que você tem alta porosidade. Se seus dedos deslizam suavemente, então você tem cabelo de baixa porosidade.

Então temos 3 tipos de porosidade, baixa media e alta.




BAIXA POROSIDADE

O cabelo com baixa porosidade tem uma camada de cutícula firmemente ligada com escalas sobrepostas que ficam planas. Este tipo de cabelo é geralmente considerado saudável, e muitas vezes são muito brilhantes, especialmente quando é escuro na cor. Cabelo de baixa porosidade repele umidade quando você tenta molhá-lo e é difícil de processar uma vez que resiste à penetração de produtos químicos.

Cabelo de baixa porosidade também é propenso a acúmulo de produtos de condicionamento  ricos em proteínas, o que pode deixá-lo sentir rígido. Stick para livre de proteínas, condicionadores diários com umectantes como glicerina ou mel. Use calor moderado com tratamentos de condicionamento profundo livre de proteína para ajudar a abrir a cutícula fortemente ligada.

Cabelo de baixa porosidade requer hidratantes ricos em emolientes, como manteiga de karité, óleo de jojoba, óleo de coco e óleo mineral. Ele também beneficia de produtos umectantes, que atraem e mantêm a umidade ao seu cabelo. Escolha produtos mais leves, baseados em líquido, como leites capilares que não se sentarão em seu cabelo e deixá-lo oleoso ou gorduroso.

POROSIDADE MÉDIA

 Cabelo com porosidade média muitas vezes requer a menor quantidade de manutenção. A camada de cutícula é mais solta, permitindo apenas a quantidade certa de umidade para entrar, evitando muito de escapar. Cabelo com porosidade normal tende a manter estilos e pode ser permanentado e colorido com resultados previsíveis. Ao longo do tempo, no entanto, estes processos podem danificar o cabelo e aumentar a sua porosidade.

Ocasionais tratamentos de condicionamento profundo com condicionadores de proteínas podem beneficiar o cabelo de porosidade média, mas as proteínas não devem ser incluídas no seu regime diário.

ALTA POROSIDADE

 Alta porosidade pode ser uma propriedade inerente do cabelo ou o resultado de danos causados pelo processamento químico, tratamento áspero ou danos ambientais. Cabelo de alta porosidade tem lacunas e buracos na cutícula, que deixam muita umidade em seu cabelo e deixá-lo propenso a frizz principalmente em clima úmido. Mesmo atos simples, como banhos, natação e shampoo podem criar mais danos e quebra devido à enorme quantidade de umidade que o cabelo pode absorver.

Certifique-se de usar ante umectantes em climas com alta temperatura e umidade. Isso ajudará a selar suas cutículas danificadas e impedi-los de absorver o excesso de umidade no ar.

Porque cabelo altamente poroso também pode perder umidade facilmente, é importante usar condicionadores sem enxague, moisturizers e selantes. Então, estes produtos irao ajudar o seu cabelo segurar a umidade que você está dando. Você pode até mesmo acompanhar com uma manteiga de cabelo pesado para ajudar a preencher as lacunas em suas cutículas danificadas e ainda proteger seu cabelo de perder demasiada umidade.

Na próxima postagem irei tratar da DENSIDADE, mas para finalizar esta matéria lembre se você tem cabelos menos densos use produtos mais leves. Se você tem cabelos densos, use produtos mais pesados. O cabelo poroso necessitará mais umidade de modo que não o suga dentro do ar e do frizz. Adicione estas rotinas e produtos a sua rotina diária do cuidado do cabelo para realçar mais seus cachos.

Imagens: Pinterest

Consulta: Tricologia e a química cosmética – John Halal – Ed. Cengage.

quarta-feira, 29 de março de 2017

#tiposdecabelo #comocuidar #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Tipos de cabelo e como cuidar deles

Olá pessoal!

Um dos assuntos mais acessados aqui no blog são cuidados com o cabelo. Mas antes de falar sobre dicas, produtos, tratamentos para ter os cabelos dos sonhos é muito importante sabermos qual é nosso tipo de cabelo e assim definirmos suas necessidades. E esse é o tema do post de hoje. Ele ficou um pouco extenso, mas vale a pena conferir.



Existe uma classificação que separa os cabelos em três níveis, onde 2, eram os tipos mais lisos, 3 intermediário e o 4, os tipos mais crespos. Cada nível possui subdivisões. Há ainda quem acrescente nessa tabela um tipo 1 onde são os cabelos totalmente lisos. Mas estar em um determinado grupo não significa que você também não possa fazer parte de outro. Afinal é bem comum termos mais de um tipo de fio, o que torna os cuidados um pouco mais difíceis. Na imagem abaixo podemos visualizar os tipos de fios. 



Tipo 1 - Liso


O cabelo dentro do tipo 1 é aquele totalmente liso, sem nenhuma ondulação, da raiz às pontas. Costuma ser bem sedoso, pois a oleosidade natural dos fios consegue atingir as pontas sem obstáculos.

Mesmo assim, não dá para dispensar a proteção térmica na hora de modelar, vale lembrar! O uso frequente de babyliss chapinha e secador pode transformar este tipo, normalmente tão saudável, em seco e danificado.

1A (Fino) – pouco encorpado, muito brilhante e com tendência a ser oleoso e grudado na cabeça. O famoso cabelo escorrido, aquele que não segura nada, nem um grampo! Sempre use produtos leves na hora dos cuidados, para não pesar. Se necessário, use linhas próprias para cabelos oleosos, principalmente na hora de lavar, pois é fundamental que a área da raiz esteja bem limpa. Produtos que doam volume também é uma boa pedida! Já os feitos à base de silicones podem fazer os fios ficarem pesados e mais chapados.

1B (Médio) – possui fios mais encorpados e bastante volume. Já consegue segurar cachos feitos com modelador. Na hora de condicionar, o ideal é utilizar produtos leves e alternar com um mais potente e hidratante de vez em quando, para manter o brilho e o alinhamento dos fios em ordem. Sempre aplique o condicionador só nas pontas, assim como qualquer outro produto hidratante!

1C (Grosso) – reto, pesado e dificílimo de modelar. Os fios são tão grossos que você praticamente consegue visualizar um por um ao olhar para a cabeça de quem possui este tipo de cabelo. Muitos orientais se encontram nessa categoria (mas isto não é regra, há várias com cabelo fininho também). Para manter a aparência bonita, é recomendado que fosse lavado com frequência, com produtos que removam bem a oleosidade da raiz. O condicionador não deve ser muito denso e nem pesado. Use só nas pontas. Para finalizar, reparador de pontas duplas.

Tipo 2 – Ondulado

O cabelo do tipo 2 é aquele que não é liso mas não chega a formar espirais. Forma mechas em padrão de S, verdadeiras ondas. Costuma ter a raiz mais lisa e é mais suscetível ao frizz.

Versatilidade é uma das vantagens deste tipo, que costuma ser fácil de modelar. Amassados, podem formar cachos mais definidos. Escovados, ficam bem lisinhos com pouco esforço.

2A (Fino) – quase liso, possui fios em formato de S mais suave e é fácil de modelar (pega tanto escova quanto babyliss – apesar de tender a voltar a um formato mais próximo original rapidamente, por ser fininho). Não costuma ter muito volume, por isso, o ideal é usar produtos leves (e em pouca quantidade) para estilizá-lo, como mousse, gel e loções, ao invés de cremes e manteigas. Caso contrário, pode pesar e ficar murcho.

2B (Médio) – tende a ter frizz e não é tão fácil de ser modelado, pois possui forte memória do formato original. As mechas formam um S perfeito. O ideal é usar produtos a base de gel ou mousse para manter as ondas bonitas, além de finalizadores anti frizz.

2C (Grosso) – as ondas são tão intensas e menos espaçadas que já começam a formam cachos soltos. Os fios não ficam tão grudados na raiz quanto nas categorias anteriores, se distanciam um pouco da cabeça. É difícil de modelar. Neste tipo de cabelo volumoso, é aconselhável caprichar na mousse e nos finalizadores anti frizz. Já é cogitado o uso de cremes ativadores de cachos mais levinhos, pois eles pegam a forma com facilidade, se amassados (até chega a ser possível modelar um 2C de modo que pareça um cacheado 3A, só amassando bem e deixando secar ao natural).

Tipo 3 – Cacheado

É aqui no tipo 3 que os cabelos cacheados realmente começam, apesar de que, popularmente, a textura dos ondulados 2B e 2C já seja vista como cacheada.

O cabelo do tipo 3 de fato forma caracóis bem definidos e simétricos, que parecem “molinhas”. Quando bem cuidado, é macio e cheios de vida! Por isso, deve-se sempre caprichar na hidratação.

3A (Cachos Soltos) – possui aquele tipo de cacho natural que parece ter sido feito com babyliss, bem largo e regular. Costuma ter bastante brilho e segurar bem uma escova. Para manter naturalmente os cachos bonitos e definidos, os melhores produtos são os géis, leave-ins e cremes ativadores de cachos, desde que não sejam muito pesados. Prefira shampoos sem sulfato.

3B (Cachos Apertados) – é bem mais enrolado do que o tipo 3A, com cachos estreitos, definidos e regulares, bem espiralados. Fazer uma escova neste tipo costuma dar muito trabalho! Para manter os cachos bonitos, o mais indicado são bons cremes ativadores de cachos, bem hidratantes e com potente controle de frizz. Como os fios costumam ser mais secos, lave com shampoo hidratante. Com o cabelo seco, reidrate os cachos com leave-in condicionador, quando sentir necessidade.

3C (Cachos Super Apertados) – os cachos são super fechadinhos e estreitos, como a ponta de um saca-rolhas. Ficam grudadinhos uns aos outros, “embolados”, porém com um padrão de forma bem definido. Os fios são finos e frágeis. Hidratação é palavra de ordem para manter este estilo sempre bonito, não só na máscara e no condicionador, mas também no shampoo. Para finalizar, prefira produtos bem hidratantes e um pouco mais densos, como cremes, manteigas e óleos.
Para que os cachos sempre fiquem bonitos, o ideal é só penteá-los depois do banho, com o cabelo úmido e protegido por um belo creme para pentear específico para este tipo de cabelo. Depois de secos, esqueça a escova ou o pente, pois ele só irá desmanchar os cachos e armar a cabeleira! Se acordar com os cachos murchos e indefinidos, é legal usar um spray para pentear específico para cabelos cacheados e amassar as madeixas novamente. Os cachos ficam perfeitos, como se o cabelo tivesse sido recém-lavado!

Tipo 4 – Crespo



No tipo 4 estão os cabelos geralmente conhecidos como afro. O que se afirma é que são mais secos e frágeis, pois a oleosidade não consegue percorrer o fios, por causa da textura. Por isso, necessitam de bastante hidratação para que revelem toda a sua beleza e não se quebrem à medida que vão crescendo.

Um fato que diferencia cabelos muito cacheados (como os 3C) dos crespos é que os crespos se mantém totalmente enrolados até molhados (os cacheados tendem a ficar mais ondulados nesta condição).

4A (Macio) – tem cachos hiper estreitos, que parecem molinhas, da largura de uma agulha de crochê, bem definidos. Não é recomendando remover a oleosidade natural dos fios, portanto, deve-se evitar lavar todo dia ou até aderir ao método co-wash (lavar somente usando um condicionador – adequado para seu tipo de cabelo – com poder de limpar suavemente e hidratar, sem remover os óleos naturais dos fios). Caso ache a ideia de abolir o shampoo muito radical, dê preferência aos sem sulfato, com propriedades hidratantes. Aliás, hidratação nunca é demais, capriche na potência dos produtos!

4B (Seco) – as mechas têm formato de Z (zig-zag), menos definidas do que as do tipo 4A. Na hora da escolha do shampoo, opte por um mais denso e cremoso, que deixe os fios com aparência saudável e hidratada. Sempre desembarace com um pente de dentes largos (passando antes um condicionador bem poderoso, lógico!). Sele com algum tipo de óleo natural (como o de coco, jojoba, argan e etc – que nunca contenha óleos minerais), para que a hidratação não escape. Para estilizar, use leites e manteigas específicas para este tipo de cabelo, bem hidratantes. E evite manipular os fios o máximo possível, para minimizar possíveis quebras e ajudar no crescimento.

4C (Sem Forma) – possui o mesmo padrão de estrutura em zig-zag do tipo 4B, porém alternando com áreas quase sem nenhuma definição. O recomendado é evitar ao máximo lavá-lo e se possível aderir ao método co-wash (explicado no tipo 4A) ou aos shampoos sem sulfato. Após a lavagem, não se esqueça de selar os fios com algum tipo de óleo natural, para reter a hidratação. Para finalizar, utilize produtos super hidratantes, como cremes e manteigas. Cremes pesados ainda ajudam a dar uma aparência mais alongada aos fios deste tipo. É recomendado fazer hidratações potentes a cada 3 dias.
Para quem tem cabelo do tipo 4, recomendo se informar sobre a importância dos óleos para as crespas e cacheadas. E para finalizar achei algumas informações bem interessantes.

 A L´Oréal fez uma pesquisa e catalogou os principais tipos de cabelos encontrados aqui no Brasil. E chegaram a conclusão que aqui são encontrados  8 tipos diferentes de cabelo (agora podemos visualizar como aquela classificação se encaixa aqui no Brasil).  São eles:

Tipo 1 - Lisos: É o desejo da maioria das brasileiras, mas apenas 18% delas nascem com os fios lisos.
Tipo 2 - Levemente Ondulado: As mexas onduladas é encontrada em 26% das mulheres do nosso país.
Tipo 3 - Mais Ondulado: É o tipo mais comum de cabelo no Brasil, encontrado naturalmente em 29% das mulheres.

tipo 1

tipo 2

tipo 3


Tipo 4 - Levemente Encaracolado: É uma variedade de cabelo pouco encontrada, respondendo por apenas 8% das mulheres.
Tipo 5 e 6 - Encaracolados: É encontrado em 17% das mulheres. Mas os números mostram que os cachos bem definidos não agradam a maioria das que os têm.
Tipo 7 e 8 - Afro: Herança dos negros, o cabelo classificado como afro está presente no Brasil, mas em percentual muito pequeno. Com séculos de miscigenação, essa variedade se tornou residual, com presença de 2% na população feminina

tipo 4

tipo 5 e 6 

tipo 7 e 8 



Bom, usei estas celebridades como exemplo levando em consideração o cabelo como estava na foto, só para representar cada tipo. Provavelmente, muitas delas não estão com sua textura natural nas imagens, mas o que conta é o aspecto, ok?

Ah! Essas informações todas aprendi no site do criador de método classificação, chamado de Andre Walker System.

Espero que tenha sido útil para todos.

Fonte: imagens Pinterest
John Halal – Tricologia e a química cosmética capilar.Ed. Cencage

Adinete Mota – Técnicas de Alisamento – Ed. Senac