quarta-feira, 28 de junho de 2017

#acidohialuronico #escovaprogressiva #selagem #hidratação #cabelo #falandodecabelo #paolocabeleireiro

Ácido hialurônico
Um excelente “reconstrutor” do cabelo


Olá pessoal!

Como postei aqui em 27 de novembro de 2015, falando sobre os benefícios do ACIDO HIALURÔNICO, hoje volto a escrever sobre este ingrediente que virou “onda” como se ele fosse o ativo de escova progressiva. Pessoal, ele é um excelente “reconstrutor” para o cabelo, mas não alisa isto é a maior mentira que vocês podem aplicar para uma cliente.

Nos últimos tempos uma nova “onda” de substâncias e ingredientes cosméticos monopolizam o protagonismo da cosmética capilar e de muitos dos tratamentos destinados a manter um cabelo bonito e saudável. O aparecimento da queratina representou um autêntico boom, e agora é um dos componentes que triunfou no campo dos produtos de beleza facial (especialmente nos de antienvelhecimento) é que se está a revelar como uma autêntica cura de reparação para os cabelos mais castigados: o ácido hialurônico para o cabelo.

Esta substância é um componente básico do corpo humano. De facto, trata-se de uma proteína presente, sobretudo na pele, nas cartilagens, nos ossos, nos vasos sanguíneos, no cordão umbilical, etc. e da qual se pode dizer que atua como um autêntico guardião da hidratação do organismo.


O grande poder do ácido hialurônico é a sua impressionante capacidade de absorver grandes quantidades de água, armazenando a umidade (estima-se que um grama de ácido hialurônico pode absorver até três litros de água). Esta função de esponja funciona na perfeição aproximadamente até aos 40 anos, altura a partir da qual a produção desta proteína começa a ser menor, o que leva a uma perda da hidratação da pele, causa direta dos três inimigos principais da “firmeza facial”: a secura, a flacidez e, finalmente, as rugas. As zonas do corpo nas quais este abrandamento da produção do ácido hialurônico se torna mais evidente são as mãos, o pescoço, o rosto e o decote.



O ácido hialurônico incorporado nas fórmulas cosméticas tem por objetivo combater a flacidez cutânea, devolver a hidratação e a firmeza perdidas às peles mais flácidas e prevenir o envelhecimento, com resultados visíveis em curto prazo. Quanto à utilização do ácido hialurônico no cabelo, a sua principal vantagem é o elevado nível de hidratação que proporciona à estrutura capilar, compensando os efeitos negativos produzidos pelo sol, os fatores ambientais, os tratamentos agressivos e outras circunstâncias que produzem a perda de água no cabelo e que, por sua vez, dão lugar à rotura, secura, perda de brilho, de cor, etc.

Portanto, para manter um cabelo bonito, é muito interessante conhecer as propriedades e as vantagens dos novos ingredientes que fazem parte da composição dos produtos capilares, algo tão importante como saber escolher um shampoo de forma adequada ou saber como lavar o cabelo corretamente.

Acido hialurônico alisa cabelo?

Mentiraaaaaaaaaaa, ele não tem capacidade de alisar cabelo e nem de esticar o cabelo, portanto, nas progressivas ele esta associado a um principio ativo não liberado pelo órgão regulador, a ANVISA, que fara esta parte de esticar o fio.
A função dele no cabelo, e isto sim ele faz, é preencher as fissuras provocadas por danos causados, e devolvendo muita maciez aos fios.
O ácido hialurônico é um bi polímero, ele é meio viscoso, possui uma versão sintética vegetal.
É possível produzir ácido hialurônico artificialmente pela fermentação de substratos vegetais realizadas por bactérias do gênero Streptococcus, ou, ainda, pela fermentação do açúcar da beterraba por lactobacilos. O ácido hialurônico sintético é utilizado na produção de uma enorme variedade de cosméticos tais como loções corporais, loções pós-barba, géis, shampoos e condicionadores de cabelos, cremes antirrugas e outros.

Vamos conhecer mais do ácido hialurônico
1) O ácido hialurônico é um tipo de açúcar, denominado como polisacárido tipo glicosaminoglicano, que está presente naturalmente no nosso corpo, especialmente em articulações, cartilagens da pele.
2) No entanto, a nossa pele, diariamente, sintetiza e degrada cerca de 1/3 da produção da substância. Os desequilíbrios costumam aparecer a partir dos 40 anos e, com isso, a pele desidrata e perde sua densidade. Com o passar dos anos, a produção desse ácido é interrompida e, por isso, é preciso tratar topicamente com preenchedores para devolver o volume necessário à derme.
3) O principal “superpoder” do ácido hialurônico é a sua alta capacidade de retenção de água que é de até mil vezes o seu peso! E é por esse motivo que o ativo tem um papel tão importante na hidratação da pele e do cabelo, conferindo viço e aquele ar de saúde que toda apaixonada por beleza deseja ter no rosto.
4) Dessa forma, a substância é utilizada em procedimentos clínicos, como preenchimentos de bolsas na região dos olhos ou de sulcos e rugas. Mas não para por aí: ele está incluído em dermocosméticos, principalmente na formulação de produtos antirrugas, como séruns e cremes.
5) Como é naturalmente presente no corpo, a tolerância ao ácido hialurônico tópico é excelente. No entanto, isso não quer dizer que dispensa a consulta com o dermatologista, quando for utilizar em cremes para o corpo e rosto. Procure um especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologista para avaliar seu tipo de pele e escolher os dermocosméticos e procedimentos ideais!

Imagens; Internet




Nenhum comentário:

Postar um comentário